sábado, 19 de agosto de 2017

«AS ÁRVORES MORREM DE PÉ»





E continuam a morrer...

E  ninguém me diga que não são ações de extremistas políticos,
porque estou plenamente disso convicta.


Pedrogão
Esta fotografia correu a comunicação internacional...
No meio de vasta área queimada, árvores como ciprestes, carvalhos e castanheiras,
espécies autóctones, resistem ao fogo...  Aqui   e  Aqui


' Cada árvore é um ser para ser em nós '

Uma castanheira

Cada árvore é um ser para ser em nós
Para ver uma árvore não basta vê-la
A árvore é uma lenta reverência
uma presença reminiscente
uma habitação perdida
e encontrada
À sombra de uma árvore
o tempo já não é o tempo
mas a magia de um instante que começa sem fim
a árvore apazigua-nos com a sua atmosfera de folhas
e de sombras interiores
nós habitamos a árvore com a nossa respiração
com a da árvore
com a árvore, nós partilhamos o mundo com os deuses.

António Ramos Rosa
O Poeta do Algarve
1924 - 2013
Um resistente contra a «ditadura do banal»


Poderá gostar de ler este post sobre o Poeta - Aqui

24 comentários:

  1. Música linda e que pena cada árvore que se vai, seja pelo fogo, seja pelo machado ou serra elétrica.... Lindo fim de semana! bjs, chica

    ResponderEliminar
  2. É uma triste realidade. Acontece no meu país, acontece no mundo.
    E tudo isso para enriquecer poucos, que não estão nem aí para o futuro.
    Belíssimo dizeres do Rosa.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. A árvore simboliza e muito nossa vida! Quando somos fortes, no silêncio das nossas orações, podemos até nos sentirmos enfraquecidos, mas a 'seiva orante' nos revigora. Infelizmente, muitos humanos não percebem a importância dessa vivência ambiental. Falta-nos a consciência ética da Vida.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  4. Lindo. Comovente. Não há palavras

    Beijinhos. Bom fim de semana

    ResponderEliminar
  5. Há muita gente a lucrar à custa dos incêndios, que, como negócio, infelizmente, progridem...
    beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Oi Majo,
    Doeu no mundo todo a dor da morte no meio do inferno ardente
    Ai, meu Deus quanta dor!
    Os mortos estão nos céus e o que será de nós? Ninguém sabe.
    Aos nossos amigos irmãos a nossa solidariedade
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  7. Morrem de pé, as árvores. E com elas "a sua atmosfera de folhas e de sombras interiores", como diz este belo poema de Ramos Rosa. E este país vai ficando cada vez mais pobre porque estes incêndios queimam as árvores, as pessoas, as casas e deixam-nos em completo estado de desolação. Se é pelo lucro, se é pela política, se é pela maldade... dá que pensar.
    Foi bom ouvir Beethoven.
    Um resto de bom domingo, minha Amiga Majo.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  8. Uma bela homenagem às arvores que morreram de pé e aos 64 que morreram entre elas!
    Abraço,

    ResponderEliminar
  9. gosto de António Ramos Rosa desde que comecei a ler os grandes Poetas, e o poema escolhido está em perfeita sintonia com a postagem.
    um bom domingo
    beijinhos
    :)

    ResponderEliminar
  10. Muito triste o que tem acontecido este Verão!Muito triste, mesmo!! E parece não parar...

    Lindo o poema!!

    ResponderEliminar
  11. Esses incêndios doem a alma da gente, árvores que levam dezenas de anos para crescerem, de repente tombam numa ação que não se sabe os porquês. Aqui sabemos, as queimadas criminosas, aí não soube com clareza qual foi o motivo. O Carvalho tem um ditado aqui: árvore forte, verga mas não quebra! Tudo muito triste, Majo. E a música escolhida...deixa a tristeza pior! Bem que pior do que está não poderia ficar.
    Beijo, querida amiga. Foi uma bela homenagem...e o poema lindo!

    ResponderEliminar
  12. Morrem de pé as árvores e com elas morremos um pouquinho pois cada árvore ceifada pela ação criminosa é um dia a menos na vida dos seres que dela necessitam para sobrevir
    Triste, lamentável e inaceitável esse episódio de dimensões imensuráveis
    Ouvir Beeyhoven... um enlevo ímpar
    Beijos minha linda amiga

    ResponderEliminar
  13. Olá, querida amiga Majo!
    Fiquei tão triste com noticiários aqui sobre a situação do nosso amado Portugal...
    Somos todos árvores plantadas no grande universo, entretanto, temos a responsbilidade de nos cuidarmos mutuamente para não deixar um aárvore sucumbir sozinha...
    Amei o vídeo e fiquei em estado de relax um bom tempo com ele...
    Gosto muito de músicas instrumetnais pois nos fazem interiorizar momentos sublimes que nossas almas necessitam muito para não nos deixarmos derrubar por incêncio algum que venha nos provocar e que seja danoso para nossa alma...
    Seja muito feliz e abençoada!
    Bjm de paz e bem

    ResponderEliminar
  14. Dói em mim saber e ler sobre esta devastação irresponsável Majo.
    Que mundo é este que nem as arvores são respeitadas?
    Triste amiga e que cesse esta onda maligna.
    Que maravilha do Poeta Antonio Rosa.
    Silencio uma arvore tomba enegrecida ardendo em fogo.
    Sorria façamos festa para esta árvore que renasce das cinzas e resistem à agressão.
    Boa semana querida Majo.
    Beijos

    ResponderEliminar
  15. Essas paisagens são absolutamente desoladoras, dilaceram a alma.
    Beijinhos, boa semana

    ResponderEliminar
  16. Também concordo quanto à origem dos incêndios!
    Nós estivemos as chamas à porta de casa e neste vale verdejante vivemos um clima de guerra contra um fogo que galgava serra acima!!!
    bj

    ResponderEliminar
  17. Uma dor de alma este nosso país!... :(

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  18. Um poema sábio de um poeta que deveria ser lido (e compreendido) pelos irresponsáveis e criminosos deste país.
    Quem nos livra do flagelo dos incêndios? Não são os papagaios que abundam e povoam as TVs.
    Bj.

    ResponderEliminar
  19. As árvores são um elemento muito presente nos meus escritos, como já deves ter notado. Ando muito triste com este flagelo e só espero que, desta tragédia maior, saia uma vontade política firme para atuar em todos os domínios. O diagnóstico do problema há muito que está feito. Que se encete a cura!
    Excelente partilha, relevando o poema de Ramos Rosa.
    Bjinho

    ResponderEliminar
  20. ~~~
    COLABORAÇÕES QUE MUITO AGRADEÇO... BEM HAJAM...

    O POEMA É REALMENTE MUITO EXPRESSIVO... EMOCIONANTE... ESPECIAL.

    É TRISTÍSSIMO PENSAR QUE SOMOS UM PAÍS QUEIMADO, SEM ÁRVORES.

    MUITO OBRIGADA... ABRAÇOS.

    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
  21. Olá, Majo

    Realmente, um milagre. Aquelas árvores intocadas no meio do fogo, dá que pensar.
    É uma tristeza o que está a acontecer e não vejo explicação lógica possível.

    Um belo post, uma bela homenagem a todos quantos têm sofrido com esta situação
    inqualificável. Que Deus tenha piedade de nós!

    Um abraço.

    Olinda

    ResponderEliminar
  22. Um fogo que pega em várias frentes deixa escrita a história. E é demasiado cruel. Confesso que gosto de abraçar as árvores porque se erguem, porque emanam energia ...

    Beijinho, Majo.

    ResponderEliminar
  23. Uma triste realidade.... e pelos visto ninguém consegue controlar...

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  24. Tem toda a razão Majo! Foi um assalto e uma destruição do país em grande! Como perdoar? Como controlar? Seja como for, tem de se ter em conta essa destruição sistemática e'ordenada' da coisa maravilhosa que são as árvores! E um país a arder faz chorar.

    ResponderEliminar