DIREITOS DE AUTORIA

**************************************************** NO PAINEL SUPERIOR -- O TEJO JUNTO DE LISBOA ***************************************************

domingo, 30 de julho de 2017

DIA INTERNACIONAL DA AMIZADE


Homenageio Mário Quintana no 101º ano do seu nascimento...
O querido poeta que fez lembrar ao mundo lírico que
«a amizade é um amor que nunca morre.»


Foi em Barcelona, em 1992
Há precisamente 25 anos...
Como o tempo passa!

Tradução em espanhol - Aqui

Música de Andrew Lloyd Webber
Poema  de Don Black
Para comemorar este Dia Internacional da Amizade
optei por selecionar dos blogues das minhas afinidades,
poemas que muito me enterneceram.
Foram escritos por almas de delicada e intensa idealização,
por quem trabalha a Língua Portuguesa só por amor à arte,
para regist(r)ar e comunicar emoções, sentimentos e criatividade,
com empenho e prazer em superar-se e para deleite dos seus leitores.
É na simplicidade que encontro os mais genuínos e puros sentires...
 * * * * * * *
Voce é a razão desta alegria

Amigo é arte, é dom
Da alma, a mais fina flor
É delicadeza em fúlgido esplendor

Amigos são versos de um poema
Que a mais exuberante rima
Não consegue exprimir nem descrever
São os vocábulos da vida
Que com carícias e ternuras
Fazem uma linda amizade florescer.
Gracita
Na íntegra - aqui                            
Aos meus amigos

Amigo é aquele que te diz eu te amo,
sem qualquer medo de má interpretação.
Amigo é quem te ama.
É verdade e razão,
sonho e sentimento.
Amigo é para sempre,
mesmo que o sempre não exista..

Lis
Daqui
Amizade

 A amizade é encontrar no outro ser
uma irmandade de puro amor e fraternidade.

São os amigos que
colorem a nossa vida e aquecem o nosso coração. 

Aline
Daqui
Se pudesse colocar a amizade num envelope

Que Deus conceda um segundo,
no instante da minha partida,
deixar um envelope ao mundo,
contendo minha arte na vida.

Nele cabe meu real sentimento,
de uma bela jornada vitoriosa,
fiz da amizade o monumento
Como uma obra mais preciosa.

Toninho Bira
Na íntegra - aqui

Para ti amigo/a

Chegou a hora de te agradecer...
Agradeço cada momento...
Cada conselho teu...
É como se o sol brilhasse em cada dia...

Amigos são aqueles que se necessário for,
Admoestam, incentivam, elogiam. corrigem,
Estão presentes na nossa vida, nos nossos momentos
Mais fortes e também nos mais débeis...

A ti, Amigo/Amiga. todas as palavras
São poucas para te agradecer.

Cidália
Adaptado - daqui
Deixo-vos este selo com a minha Rosa da Amizade que, se desejardes,
 podeis levar para o vosso blogue.


Parafraseando Saint-Exupéry,
«foi o tempo que dedicaste à tua rosa que fez a tua rosa  tão importante»,
foi o tempo que dedicaste ao teu amigo/a que fez o teu amigo/a tão importante.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

~~ F É R I A S ~~



Alma Mater - Rodrigo Leão

HOMENAGEM  A  LAGOS  E  AO  SEU  POETA
José Vieira Calado


Junto ao mar nesta Baía

Junto ao mar, nesta baía suave de azul cobalto,
deixo envolver-me nos confins do pensamento,
o recorte do céu, a expressão mais nua do chão

e contemplo a narrativa das areias desta praia
A voz antiga que desfez as pedras dos montes
no tumulto das grandes impiedosas chuvas.

O meu arrebatamento é a história que leio
nos veios engendrados do refluxo da maré,
as algas deixadas junto ao limite das águas
...   ...   ...   ...   ...

Marenostrum - Maio 2017

Na íntegra - Aqui



~~ Baía de Lagos, o meu mar ~~

Asa branca
de uma vela.

roçando o mar
duma gaivota.

A liberdade azul
em movimento.

Marenostrum



~~ A Flor ~~

É este sinal verde
igual ao sabor do meu sangue

é este sabor a sal
igual à rede das minhas mãos

é este indelével céu
que sorri nas estrelas

                     a flor positiva

que eu medito
e me floresce
no mar dos olhos.

Em, 5 Poetas de Lagos




 É esta a cidade onde vivo, rodeada de mar e belas praias, agradável e pacata, porém,
nestes meses de Verão, com o afluxo de turistas, fica insuportável para os residentes.

Bom Verão para os meus estimados amigos da Europa
e um Inverno confortável para os da América do Sul.

)))  Dias  muito  felizes  (((

~~~ A B R A Ç O S ~~~
Fontes das fotos
A - B - C - D -

sexta-feira, 7 de julho de 2017

CLAIR DE LUNE...






Clair de lune
La lune était sereine et jouait sur les flots,
La fenêtre enfim libre est ouvert à la brise.
La sultane regarde, et la mer qui se brise,
Lá-bas, d'un flot d'argent brode les noirs flots.
...   ...   ...   ...   ...
Ce sont des sacs pesants, d'où partent les sanglots,
On verrait, la mer qui les promène,
Se mouvoir dans leurs flancs, comme une forme humaine...
La lune était sereine ei jouait sur les flots.

Victor Hugo
A minha tradução
            Luar 
Lua, pairas serena e nas ondas rebrilhas,
A janela, enfim, livre e aberta à brisa.
Alta, a sultana olha o mar que se repisa...
De reflexos prata borda as negras ilhas.
...   ...   ...   ...   ...
São bolsas árduas donde partem lágrimas,
Veríamos o mar passeando-as por trilhas,
 Movendo seus flancos como humanas formas...
Lua, pairas serena e nas ondas rebrilhas.


Amigos, quero propor-vos uma reunião com todos presentes...
Se estivermos olhando a lua cheia de Domingo.
em Portugal à meia noite
e no Brasil, às dez horas pm
ficamos todos ligados pelo mesmo olhar...
Podemos imaginar estarmos de mãos dadas num círculo...
Então, vamos experimentar? Vamos lá!
Penso que vai ser lindo e tocante.
Gostei muito, Amigos.
Foi uma emoção especial e inesquecível.
Gratíssima pela participação.

quinta-feira, 6 de julho de 2017

DIA INTERNACIONAL DO BEIJO



... ARieu - Bésame Mucho ...

~~~ O  B E I J O ~~~
    Gustav Klimt              


«Amor, quantos caminhos até chegar a um beijo!»
              SONETO II
       Pablo Neruda

Amor, cuántos caminos hasta llegar a un beso,
qué soledad errante, hasta tu compañía!
Siguen los trenes solos rodando com la lluvia.
En Tatal, no amanece aún la primavera.

Pero tú y yo, amor mio, estamos  juntos.
Juntos desde la ropa a las raíces,
juntos de outoño, de agua, de caderas,
hasta ser sólo tú, sólo yo juntos. 

Pensar qui custó tantas piedras qui lleva el rio,
la desembocadura del agua de Boroa
pensar que separados por trens y naciones

Tú e yo teníamos que simplemente amarnos,
con todos confundidos, con hombres y mujeres,
con la tierra que implanta y educa los claveles. 

Cien Sonetos de Amor
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

 A MINHA TRADUÇÃO          

Amor, quantos caminhos até chegar a um beijo,
que solidão errante até à tua companhia!
Seguem os trens sozinhos rodando... Chovia,
em Tatal não amanhece ainda a primavera.

Porém, tu e eu, meu amor, estamos juntos,
juntos desde a roupa até às raízes,
juntos de outono, de água e de quadris,
Até sermos só tu e só eu, juntos.

Pensar que custou tantas pedras como leva o rio
na desembocadura da água em Boroa.
Pensar que separados pelos trens e países

ambos tínhamos que simplesmente amarmo-nos,
mesclados com tudo, com os homens, as mulheres,
com a terra que implanta e forma belas flores.


Há beijos e beijos - desde ósculos de Judas à manifestação
do amor maior, o amor total e absoluto...
Porém, em geral, todos são a expressão de imensa ternura e carinho.

Para vós, deixo-vos os meus habituais, ternos e cordiais
beijos de muita amizade.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Desejo-vos um dia especialmente alegre e feliz.

terça-feira, 4 de julho de 2017

CANÇÕES DE SEMPRE




«A memória é o perfume da alma» 
George Sand



  TRADUÇÃO  


A PERSISTENCIA DA MEMÓRIA - SALVADOR DALI
Poema de Thomas Stearns Eliot, musicado por Andrew Lloyd Webber
O poema - Aqui
 .............................................
X

sábado, 1 de julho de 2017

A MORTE DO CISNE


The Dying Swan
Anna Pavlova  

1881 - 1931
Sevetlana Zakharova

Inicalmente com o nome de Swan (Cisne), a Morte do Cisne é um solo de
ballet de 4 mn, criado pelo coreógrafo e dançarino russo, Mikhail Fokin,
a pedido da bailarina Anna Pavlova. Estreou em 1905, integrado na
 série musical Le Carnaval des Animaux composto por Saint-Saens.


Perfeitamente adaptado ao perfil delicado do ballet de Anna, a interpretação
foi um sucesso que a tornou famosa e veio a influenciar as performances
do Lago dos Cisnes... Estima-se que Anna tenha dançado o seu solo
cerca de 4 000 vezes e, ao morrer prematuramente de pneumonia,
 pediu para lhe vestirem o seu fato de cisne.


Na realidade, a peça é uma metáfora que representa a morte.
Aqui dançada por sete bailarinas principais.

~~~ Concurso... Se Ela Dança Eu Danço... S Paulo ~~~


No concurso supra citado, o brasileiro John Lennon da Silva dançou
- de forma emocionante - A Morte do Cisne, em estilo Street Dance...