terça-feira, 28 de março de 2017

~ O IMPERADOR




Tema da Antártida


«L'empereur»

 é a longa-metragem do mesmo realizador do documentário
de A Marcha dos Pinguins - Luc Jacquet - que está se estreando
nas salas de cinema francesas.



Desde sempre, os cientistas manifestaram imensa curiosidade sobre
o modo como estas aves conseguem sobreviver em condições extremas.
É impressionante verificar as adaptações fisiológicas que possibilitam
as condições resilientes indispensáveis, sendo a taxa de mortalidade
muito baixa, apesar dos muitos predadores. Não resistem ao calor,
pelo que, são muito sensíveis a alterações climáticas.

As imagens e trailer são do documentário de 2004.

O acasalanento

Os machos resistindo ao inverno e chocando o ovo,

Trailer do documentário.


Os bebés na Primavera esperam as mães vindas do mar.

A mamã chegou e o pai tem que partir...

Vídeo sobre o filme «L'empereur» - aqui.


Beijos de amor...

Fotos - A - B - C - D - E - F

domingo, 26 de março de 2017

HOMENAGEM A EUNICE MUÑOZ

                 
    

A atriz vai receber hoje - como tributo de 75 anos de carreira
- a Máscara de Ouro, no Teatro Maria Vitória.

Muitas comemorações realizam-se hoje e amanhã, pelo país, celebrando
 o Dia Mundial do Teatro

Foi sempre uma excelente profissional.

~~ * ~~

Alguns dos seus papéis mais relevantes dos últimos tempos.

«Miss Daisy» - uma pequena entrevista - aqui

«Spot» - veja

«O comboio da madrugada» . 2011 - Cena - veja
Foi mais um dos papéis difíceis da sua carreira, essencialmente porque
a personagem de 83 anos, apaixona-se por um jovem de 25.


   
Fotos - A - B - C - D E

sexta-feira, 24 de março de 2017

NUNCA ANDARÁS SÓ...



A primavera pregou-nos uma partida e deixou voltar o frio...

Eu sempre disse, durante o transato inverno primaveril, que não
iríamos ter primavera, mas tinha muita esperança de me enganar...
Ontem nevou na Fóia - o ponto mais alto da serra algarvia de
Monchique, um episódio que acontece muito raramente na primavera.
Porém, nunca nos falte a esperança.. Com ela nunca andaremos sós.



«A esperança é uma arma poderosa
e nenhum poder do mundo pode privar-te dela.»

Nelson Mandela


 


«A verdadeira esperança é uma qualidade,
uma determinação heróica da alma.
E a mais elevada forma de esperança
é o desespero superado.»

 Gerrges Bermanos


Tradução

Apesar dos pesares, para portugueses e brasileiros,
um caloroso fim de semama.

Poema A
Foto de autor desconhecido.

terça-feira, 21 de março de 2017

~ ÁRVORE E POESIA ~

                               


No  Seu  Dia  Internacional Comum..                                                     






~~ Plantar uma floresta ~~

Quem planta uma floresta
Planta uma festa.

Planta a música e os ninhos,
Faz saltar os coelhinhos.

Planta o verde vertical,
Verte o verde,
Vário verde vegetal.

Planta o perfume
Das seivas e flores,
Solta borboletas de todas as cores.

Planta abelhas, planta pinhões
e os piqueniques das excursões.

Planta a cama mais a mesa.
Planta o calor da lareira acesa.
Planta a folha de papel,
Mais a girafa do carrocel.

Planta barcos para navegar,
E a floresta flutua no mar.
Planta carroças para rodar,
Muito a floresta vai transportar.
Planta bancos na avenida,
Descansa a floresta de tanta corrida.m

Planta um pião
Na mão de uma criança:
Assim a floresta ri, rodopia e avança.

Luísa Ducla Soares

Do livro, A Gata Tareca e Outros Poemas Levados da Breca
Lisboa -Teorema - 1990

A minha sugestão de leitura para vossos queridos filhos ou netos...
Assim se aprende a amar a Poesia.
Porém, é necessário ensinar o dever de proteger as floresta e a reciclagem
de papel e madeira é um bom processo de incentivar o espírito ecológico.  
O Homem Que Plantava Àrvores
 é um conto de Jean Giorno - ótimo e profícuo escritor do seu tempo.
Teve uma vida complicada e pródiga em vicissitudes que o marcaram.
Possui um resumo biográfico razoável na Wikipedia de Língua Francesa.
Nunca cobrou direitos de autor por este conto, que se tornou conhecido
mundialmente e passou a fazer parte de todas as bibliotecas escolares.
Tem contribuído muito para a formação ecológica de sucessivas gerações.

Baseado neste conto, foi produzido por um realizador e equipa canadense
este filme que ganhou o Óscar para curta-metragem de animação, em 1988.


Fontes das fotos
A - B - C

segunda-feira, 20 de março de 2017

CELEBRANDO A PRIMAVERA





Com pinturas de Claude Monet e citações
da prosa poética de Cecília Meirelles

A Primavera
1872 - Museu de Baltimore

«A Primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba o seu nome,
 nem acredite no calendário, nem tenha jardim para a receber.»

Efeito da Prinavera em Giveerny - 1890 - Privado

«Finos clarins que não ouvimos, devem soar por dentro da terra,  nesse
mundo confidencial das raízes - e arautos sutis acordarão
 as cores e os perfis e a alegria de nascer, no espírito das flores.»

Sob os álamos - 1887 - Galeria Nacional de Estugarda

«E só os poetas, entre os humanos, sabem que uma Deusa chega
coroada de flores, com vestidos bordados de flores, com os braços
carregados de flores e vem brincar neste mundo
 cálido de incessante luz.»

Campo com choupos - 1890 - Museu de Belas Artes - Boston

«Mas é certo que a primavera chega. É certo que a vida não se esquece
e a terra maternalmente se enfeita para as festas da sua perpetuação.»

Pradaria perto de Ventheuil - 1879 - Coleção privada

«Vozes novas de passarinhos começam a ensaiar as árias tradicionais de
 cada nação. Pequenas borboletas brancas e amarelas apressam-se pelos
ares e certamente conversam, mas ninguém as escuta, nem entende.»

Na pradaria - 1876 - Coleção privada


«Os casulos brancos das gardénias ainda estão sendo enrolados
em redor do perfume. E flores agrestes acordam com 
sua roupa de chita multicolor.»

Magens do Sena em Ventheuil - 1880 - Museu Metropolitano NY

«Tudo isto para brilhar um instante, apenas, para ser lançado
 ao vento, - por fidelidade à obscura semente, ao que vem
na rotação da eternidade.»

A casa do artista em Argenteuil - 1874 - Instituto de Arte em Chicago

«Ecutemos essas vozes que andam nas árvores... que conservam
seus sentimentos antigos; lentamente a eufórbia se vai tormando
em pulquérrima, em cada coroa vermelha que desadobra.»


O Jardim do Artista em Giverny, 1900, Galeria Univ Yale

«Saudemos a primavera, dona da vida e - efémera.»

Extraído do livro - Obra em Prosa - Volume I            
Não vejo nenhum motivo para estragar a poesia deste dia
com o triste índice de felicidade do nosso país...
~~ * ~~ * ~~ * ~~

domingo, 19 de março de 2017

~ HOMENAGEM AOS PAIS



Este ícone ortodoxo emociona-me.
Dia de S José

A todos, um dia muito especial, em memórias e júbilo.


       ~~ Balada para Adeline ~~

Foi criada por Paul de Senneville, para celebrar o nascimento de sua filha.
Paul era jornalista, com o dom especial de criar música, sem a saber escrever
- chamam-lhe melodista - ele trauteia, grava e entrega a escrita a um músico.
Na altura, já tinha parceria com o compositor e produtor Olivier Toussant
e foi este que convidou o, então, jovem pianista Richard Clayderman
para compor um arranjo harmonioso, doce e suave como pretendiam...
Foi imediatamente um grande sucesso musical que catapultou a carreira
dos três músicos, levando-os à fama e estrelato... Decorria 1976...
Adeline, bebé, ficou célebre.




          ~ Vendo-a sorrir ~

Filha, quando sorris, iluminas a casa
Dum celeste esplendor.
A alegria é na infância o que na ave é asa
E perfume na flor.

Ó doirada alegria, ó virgindade santa
Do sorriso infantil!
Quando o teu lábio ri, filha, a minha alma canta
Todo o poema de Abril.

Ao ver esse sorriso, ó filha, se concentro
Em ti o meu olhar,
Engolfa-se-me o céu azul pela alma dentro
Com pombas a voar.

Sou o Sol que agoniza e, tu, meu anjo louro,
 És o Sol que se eleva.
Inunda-me de luz, sorri, polvilha de oiro
O meu manto de treva.

 Guerra Junqueiro 
Poesias Dispersas 


~~ Alegre e feliz Domingo ~~

Abraços cordiais, Amigos.




Fontes - 

sexta-feira, 17 de março de 2017

~ ÁGUAS DE MARÇO ~




Felizmente, para mim, elas encerram o Inverno...


E são uma promessa de Vida no meu coração...



Ótimo fim de semana.


«Se algo insiste em não estar bom
para si, não insista mais...
Pegue no seu boné e ''on the road''.
Sempre haverá outras pessoas,
outros lugares, outros trabalhos,
outras paixões que parecerão para
toda a vida... Outros projetos...
Melhores, piores
ou simplesmente diferentes
daqueles aos quais se habituou.»

Jorge Luis Borges
Abraços cordiais.

quarta-feira, 15 de março de 2017

~ «ARTE POÉTICA» ~


~~ Poetas de Sempre ~~
 




Da obra, Bicho Harmonioso, Vitorino Nemésio, 1938

Miradouro da Serra do Cume - ao fundo a cidade da Praia da Victória  da ilha Terceira.


À beira de água fiz erguer o meu Paço
De Rei-Saudade de distantes millhas:
Meus olhos, minha boca eram as ilhas
Pranto e cantiga andavam no sargaço.
... ... ...
Crepúsculo na cidade da Praia da Victória, Açores

                    Arte Poética
A poesia do abstrato?
Talvez.
Mas um pouco de calor,
A exaltação do momento,
É melhor.
Quando sopra o vento
Há um sopro na lufada;
Quando o fogo alteou
A primeira fogueira,
Apagando-se fica alguma coisa queimada.
É melhor!
Uma ideia,
Só como sangue de problema;
No mais, não,
Não me interessa.
Uma ideia
Vale como promessa.
E prometer é arquear
A grande flecha.
O flanco das coisas só sangrando me comove,
E uma pergunta é dolorida
Quando abre a brecha.
Abstrato!
O abstrato é sempre redução.
Secura.
Perde;
E diante de mim o mar que se levanta é verde:
Molha e amplia,
Por isso, não:
Nem o abstrato nem o concreto
São propriamente poesia.
A poesia é outra coisa.
Poesia e abstrato, não.



Fontes - A - B - C

segunda-feira, 13 de março de 2017

ANNA KARENINA

                           
~~ A obra-prima de Tolstoi narrada por expressão corporal ~~

 

Ópera e Teatro de Zurique
O ballet estreou com dois primeiros bailarinos especiais:
um português e um brasileiro.


Ana Karerina coreografada pelo alemão Cristian Spuck
foi uma criação do Ballet de Zurich para
Victorina Kapitonova, Filipe Portugal e Denis Vieira,
com performances na Ópera daquela cidade Suíça.
Tem espectáculos agendados para 2017, já com outros artistas. Veja.

Viktorina Kapitonova

É uma «prima ballerina» russa que estudou em várias escolas
com algum treino no Bolshoi de Moscovo. Estava numa escola
moscovita na temporada 2008/9, quando foi convidada para dançar
no Ballet de Zurique como bailarina principal.
Trabalhou com dezasseis coreógrafos em ballet clássico e moderno,
antes de ser convidada para interpretar Ana Karenina. 

Filipe Portugal
Um português que nos honra na Europa...

Afilhado muito amado duma Amiga que o trata por «meu menino de ouro»,
estudou em Lisboa e após um compromisso inicial com o ballet nacional
- CNB - ingressou em 2002 no Ballet de Zurique onde permaneceu até 2009.
Nesse período, desempenhou papéis a solo, titulares e criou coreografias.
Regressado ao CNB, foi bailarino principal em peças belíssimas.
Voltou a Zurique em 2011, continuando a interpretar papéis de destaque.
 Em 2015, foi convidado a desempenhar o papel de Alexij Karenin.

Denis Vieira

É natural de Joinville e depois de ter iniciado ballet na Escola Municipal,
 foi admitido aos oito anos para estudar no Teatro Bolshoi do Brasil.
Aprovado bailarino aos 16 anos, fez parte da companhia juvenil da escola,
porém, aos 18 anos resolveu mudar-se para o Teatro Mun. do Rio de Janeiro,
onde desempenhou todos os papéis principais e aprendeu muito com a
 professora Cecília. Em 2014, com 21 anos, ingressou no Ballet de Zurich. 

Cena dramática com Filipe Portugal
Fontes
A - B - C - D - E - F - G - H