DIREITOS DE AUTORIA

**************************************************** NO PAINEL SUPERIOR -- O TEJO JUNTO DE LISBOA ***************************************************

terça-feira, 30 de julho de 2019

... AMIZADE ...

   
~~ Tradução aqui ~~

... DIA INTERNACIONAL DA AMIZADE ...
 )))))))))))))) O ((((((((((((((O))))))))))))))O((((((((((((((

Okinawa é a ilha mais meridional do arquipélago nipónico, situada perto
de Taiwan,  ilha que os portugueses chamaram Formosa,  foi influenciada
pela sua cultura.  Com clima sub-tropical suave dão-se bem na ilha,  tanto
frutos das regiões temperadas, como uma grande parte de frutos tropicais.
Porém,  não quero focar a amenidade,  nem os dulcíssimos frutos da ilha,
nem a beleza que a transformou numa estância de veraneio de luxo ou os 
    seus monumentos antigos e singulares,  ou os seus célebres jogos marciais.  
Okinawa  tornou-se famosa por ser um dos raros locais do mundo com um
número elevado de pessoas centenárias.
 Não quero dizer que a ilha é povoada de idosos, até tem elevada natalidade,
mas que grande parte dos seus aborígenes ultrapassa os cem anos de idade.
Por esta razão, esta ilha tem sido  invadida por cientistas de especialidades
variadas.  Têm como objetivo realizar estudos sobre vários aspetos  da vida
em Okinawa.  Um dos estudos visou os aspetos sociais e comportamentais.
Para esse efeito, foram observadas durante 10 anos cerca de 1 500 pessoas,
Foi esta experiência que revelou que os amigos têm um papel relevante  na
 longevidade, mais importante que os familiares. 
 Em Okinawa, as pessoas prezam e cultivam as relações amistosas de modo
especial. Embora a convivência familiar contribua para a felicidade, são os
amigos  que  oferecem  amparo  e  segurança  inestimáveis  em  qualquer
dificuldade,  desdita,  adversidade  ou  luto. 
))))))))) O ((((((((
Baseado no livro O Segredo de Okinawa, de Anne Dufour e Laurence Wittner,
 jornanistas e escritoras...  Veja aqui.  Pode ler o prefácio. Recomendo o livro.

 ((((((((((O))))))))))

... Aplaudamos, pois, a Amizade! ...
Neste dia do ano, mimemos os amigos
e demos-lhes a entender quanto são importantes para nós.
Comemoremos hoje, porque amanhã ninguém sabe o que será.
É algo que não é correto, nem agradável fazer todos o dias.


 ~~~ Amigos, os meus abraços cordiais ~~~

domingo, 28 de julho de 2019

❤ TREMEM OS ESTIOS.....

... MÚSICA É EMOÇÃO ... 
~~~ O Pastor Solitário ~~~

A música foi criada e composta por James Last, compositor alemão.
 Foi  tocada em solo de flauta pan pelo romeno Gheorge Zamfir com 
 a orquestra ligeira James Last.  Foi um sucesso de ambos,  em 1977. 
Zamfir tinha 36 anos. Recentemente, tocou  com Andre Rieu... Aqui
~~ FADO LUSÍADA ~~

Plangem as ninfas
do Douro e Mondego
de luto estão as Tágides
Confrange o peito lusitano
saber suas antigas sombras
suas altivas montanhas
seus frondosos vales 
incinerados
Tremem os estios

MajoDutra
27-07-2019

NOTÍCIAS INCÊNDIOS DE PORTUGAL ... I ... II ... III...

🌳🌳🌳🌳🌳🌳🌲🌲🌲🌲🌲🌲🌴🌴🌴🌴🌴🌴🌲🌲🌲🌲🌲🌲🌳🌳🌳🌳🌳🌳

terça-feira, 23 de julho de 2019

... PARABÉNS À MARIA JOÃO PIRES ...


Com a Orquestra de Paris

🏵🏵🏵 Homenagem  à  Maria João 🏵🏵🏵
... faz 75 anos de idade ...
e
 ~~~ 70 anos de carreira ~~~

    
          Clique...                                                                                                                  
Maria João Pires de regresso a Belgais, recorde Aqui
Maria João Pires nasceu em Lisboa, em 1944 e deu o  primeiro recital 
aos cinco anos.  Aos quinze anos já era famosa na capital, nos círculos
apreciadores de música clássica.  Dedicou a sua vida a esta arte,  sem o
piano ter sido o centro de sua vida. Sabe-se que se realizou como mãe.
Depois dos problemas que enfrentou a respeito do  Centro  de  Belgais,
Maria João, a partir do Brasil onde residia,  continuou a participar  na
Europa de projetos,  'master classes',  eventos musicais célebres  e  em
digressões,  sempre  como  pianista  solo  de  renomadas  orquestras.
 Em 2015,  tocando Beethoven com uma orquestra sueca venceu o 
prémio  'Gramophone'  considerado o 'Óscar  da Música Clássica'.
Em Maio  deste ano,  no final do recital  «De Budapeste ao Delta»
 em Belgais, recebeu das mãos da ministra da cultura de Portugal
 a Medalha de Mérito Cultural.
Premiada ao mais alto nível nos anos oitenta e noventa,
Maria João Pires, figura singular da nossa cultura, vai
ser galardoada em Setembro pelo nosso Pr República
 com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique, a
mais alta condecoração portuguesa de mérito civil.

«Motto - Tallant de Bien Faire»
(Lema - Vontade de Bem Fazer)

sábado, 6 de julho de 2019

CENTENÁRIO DE SOPHIA...

´


~~ A Poeta escreveu este poema em Lagos, cinco dias antes da Revolução ~~


~~~ L A G O S ~~~

«Un jour à Lagos ouverte sur la mer comme l'autre Lagos»
Senghor

 ~~~ EM LAGOS ~~~
Virada para o mar como a outra Lagos
Muitas vezes penso em Leopoldo Sedar Senghor
A precisa limpidez de Lagos onde a limpeza
É uma arte poética e uma forma de honestidade
Acorda em mim a nostalgia de um projecto
Racional, limpo e poético.

Os ditadores, é sabido, não olham para os mapas
Suas excursões desmesuradas fundam-se em confusões
O seu ditado vai deixando jovens corpos mortos pelos caminhos
Jovens corpos mortos ao longo das extensões

Na precisa claridade de Lagos é-me mais difícil
O confuso o disforme a ocultação

 Na nitidez de Lagos onde o visível
Tem o recorte simples e claro de um projecto
O meu amor da geometria e do concreto
Rejeita o balofo oco da degradação

Na luz de Lagos, matinal e aberta
Na praça quadrada tão concisa e grega
Na brancura da cal tão veemente e directa
O meu país se invoca e se projecta

Sophia de M Breyner Andresen
Lagos, 20 de Abril de 1974
O nome das Coisas, 1977

Cidade antiga intramuros.

 Em Lagos, no mês de Abril, quando surgem dias de céu limpo, a luz 
solar atravessa uma atmosfera lavada e reflete-se sobre objetos bem
limpos.  Também pela inclinação dos raios solares,  é uma luz muito
bela,  que sentimos pura,  diáfana,  reverberante,  rara  e comovente.
A Poeta,  emocionada,  faz neste poema uma analogia,  por contraste,
entre a  limpidez da luz de Abril e a situação dramática  causada pela
 política ditatorial.  Em realce,  a sua repulsa pela guerra colonial.

O passeio da Avenida dos Descobrimentos,
o estuário e a ponte levadiça

                          
 Sophia de Mello B Andresen e Léopold Sédar Senghor
  
 Foi a principal porta da cidade.

Clique
 Fontes das fotos
A - B - C - D - E - F