***

~~~ Serra da Arrábida ~~~
O Parque Natural da Arrábida compreende a cadeia montanhosa e uma vasta área marinha. Com um microclima especial, desenvolve uma vegetação rara e muito interessante.
A sua costa é lindíssima... A Premium Tour, considerou a Arrábida como um dos cinco lugares mais belos em Portugal no outono, apresentando esta foto.

quinta-feira, 2 de junho de 2016

OS DUTRAS


A família Dutra
 Ilha do Faial com a cidade de Horta em 1º plano  -  Daqui

Não foi por acaso que escolhi o apelido de minha mãe para
a minha assinatura neste projeto.
De facto, a minha intenção é criar a possibilidade de poder ser contatada
por primos distantes, residentes no continente americano, quer a norte, quer a sul.
Todos os Dutras são originários do mesmo antepassado, 
o 1º capitão donatário da ilha do Faial, Joss van Hüter. ou Hurtere, 
que foi aportuguesado para Joss de Utra e finalmente originou o apelido Dutra.

O flamengo foi o primeiro povoador da ilha com concessão de 1468,  tendo
o apelido Hurtere também dado origem ao nome da cidade de Horta.

Os Dutras multiplicaram-se na ilha do Faial ao longo dr séc XVI e deviam ter possuído as melhores propriedades agrícolas da ilha, no entanto,
 depois de várias gerações de partilhas surgiu a necessidade de emigrar. Primeiro para o Brasil, muito provavelmente seduzidos pelo ouro, prata e pedras preciosas. 
Esgotados estes recursos, passaram a emigrar para os Estados Unidos da América.
No séc XX, só restavam na ilha a família de minha mãe
e a maior parte dela também emigrou.
Faleceram recentemente os idosos varões Dutra, cujos descendentes do sexo masculino
vivem nos Estados Unidos , pelo que, o nome  vai extinguir-se no arquipélago, em breve.

Da nossa família próxima , apenas sobrou um Dutra, residente em Lisboa.
Sendo assim,
peço a todos os meus primos, espalhados no continente americano,
no caso de acederem a este 'post', a gentileza de me contatarem.
Seria interessante criarmos o blogue dos Dutras.

~~~ Outras fontes de informação - Aqui ~~~



 As primeiras viagens intercontinentais.

E, porque estamos no tempo delas e as conversas são como
cerejas,

deixo-vos o poema «Colombos» de Fernando Pessoa
em que o Poeta fala do que Portugal perdeu, por não aceitar 
a expedição do navegador de Génova. 

~~~ Colombos ~~~ 

Outros haverão de ter
O que houvermos de perder.
Outros poderão achar
O que, no nosso encontrar,
Foi achado, ou não achado,
Segundo o destino dado.

Mas o que a eles não toca
É a Magia que evoca
O Longe que fez dele história.
E por isso a sua glória
É justa auréola dada
Por uma luz emprestada.

Do livro Mensagem ~ Fernando Pessoa ~ 1934

54 comentários:

  1. Que bem escolhido o tema musical para esta postagem; acrescento que adoro Vangelis e este "Conquest of Paradise" de forma particular.
    Gostei imenso de ter conhecido a história dos Dutra e fizeste muito bem em teres optado pelo apelido materno. Honrar a memória do que nos é muito querido (e, de certa forma, prolongá-la, ainda que virtualmente) é quase uma obrigação. Os açorianos (tal como os transmontanos) foram quase empurrados para fora do seu território... Pelo menos que se registem tributos como este!
    Quanto ao poema de FP, nada a acrescentar ao que escreveste. Gosto muito da Mensagem. Até no título da obra FP foi visionário; como sabes, a Mensagem não foi uma obra bem acolhida na sua época, por várias razões; eu atrevo-me a dizer que, provavelmente, porque a não souberam ler.
    BJO, Majo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gratíssima pelo teu comentário tão perspicaz e completo na sua síntese.
      Tens razão, a falta de recursos também obrigou os transmontanos a emigrar e Torga é um exemplo comovente.

      Um abraço sorridente, Odete amiga.
      ~ ~ ~ ~ ~ ~

      Eliminar
  2. Gosto imenso deste tema musical. Gostei de saber da história da sua família.
    Oxalá consiga encontrar os que emigraram, ou os seus descendentes.
    Bom recordar o poema. Considero Fernando Pessoa o maior poeta português de todos os tempos, e que me perdoem os defensores de Camões.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, gostava de reunir um bom grupo de Dutras brasileiros e estadunidenses.

      Muito obrigada, Elvira.
      ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

      Eliminar
  3. Bela intenção e melhor continuação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Francisco.
      ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

      Eliminar
  4. Madrinhamiga

    Tenho dois amigos Dutra no Brasil mas não sei o que é feito deles, se ainda vivem e por onde andam. Um era de Pernambuco, outro de Minas Gerais.

    A verdade histórica tem de ser preservada e acarinhada. Os açorianos vão agradecer-te por este texto; a fotografia é conhecida, não tem nada de especial. Mas a estória da História dos Açores com holandês no povoamento deu origem ao modo de falar nas ilhas. Santa Maria também tem algum sotaque mas muito pouco comparada com as outras.

    Agradeço-te a verdadeira lição que me deste.

    A Raquel que não é Antunes é só Ferreira manda-te bjs e o teu afilhado Leãozão remete qjs:-))))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu é que agradeço a tua simpatia e o carinho, afilhado.

      Beijinhos e calorosos abraços para ambos.
      ~ ~ ~ ~ ~ ~

      Eliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. Sempre excelente o nosso Pessoa. Que boa(s) escolha(s), Majo.

    Quanto ao Faial, maravilha! Os Açores, depois de Sintra (claro!) são para mim a terra maravilha deste nosso país. Só conheço, S. Miguel, a Terceira, o Faial e o Pico mas já foi um bom "cheirinho" da nossa Atlântida!

    Que pena teres "perdido" os teus familiares maternos. Penso que será mais fácil encontrá-los pelo facebook.

    Beijinhos bem açorianos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grata pela tua simpatia e carinho.

      Beijinhos açorianos.
      ~~~~~~~~~~~~~~~~

      Eliminar
  7. Que saudades do Pico e do Faial.
    Vivi no Pico um ano, há uns anos. Estas duas ilhas do grupo central encantaram-me e marcaram-me profundamente. Vivi lá numa altura em que não havia telemóveis, nem net, nem portáteis, numa altura em que o telefone fixo era o ponto de contacto com o continente.
    Obrigada por esta recordação.
    Beijinhos.:))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ãs paisagens são encantadoras...
      Gostei de saber que as conhece e que lhe deixaram recordações indeléveis.
      Beijinhos gratos.
      ~~~~~~~~~~~~~~~

      Eliminar
  8. Cada apelido
    é uma marca
    que nos destaca

    Dutra?
    Se te encontrar um primo
    digo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gosto de mais das tuas rimas!
      Sai sempre um riso gostoso...
      Beijo grato.
      ~~~~~~~~~~~~~~~~~

      Eliminar
  9. Olá Majo, que bela ideia de resgate da história familiar. Interessante esta ligação forte com o Brasil o que faz ter uma parte desta terra. As ilustrações estão fantásticas e vou torcer para que os parentes possam integrar este projeto tão importante.Vamos a seguir cada passo desta jornada. Hoje via blog tenho um contato tão efetivo com Portugal que me sinto na casa de voces conhecendo as tradições, gastronomia, politica. Parabéns mais uma vez pelo blog que nos manterá em interação cada vez mais.
    Já lhe desejo um belo fim de semana e que Junho nos seja de paz e alegrias e belas emoções nesta blogosfera e vida.
    Meu carinhoso abraço.
    Bjo de paz amiga.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Toninho, dedica-nos uma atenção deveras comovente.
      Concordo; com o blogue a socialização é facilitada.
      Fico muito grata pelo apoio e carinho.
      Beijo, amigo.

      Eliminar
  10. Oxalá consiga encontrar alguns desses primos afastados.
    Imagino um pouco a sua expectativa...

    Um bom fim-de-semana para si:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Isabel.
      Que venha um ótimo fim de semana para todos.
      ~~~ Beijinhos.~~~

      Eliminar
  11. Pois a menina, tardou mas "inspirou"...
    Muito gostei de saber das tuas origens, e, para que saibas, tive em adolescente, um amigo Dutra, de Viseu, que tocava no conjunto , OS TUBARÕES , e morreu há poucos anos.

    Se estiveres no FB, procura "OS TUBARÕES".
    Beijinho e até um destes dias.

    ~~~~~~~~~~~~:) ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, concordo, nesta missão o FB é indispensável.
      Grata por me indicares o rasto desse Dutra...
      ~~~ Beijinhos.~~~

      Eliminar
  12. Não sendo primo, e vivendo em Macau, deixo-lhe aqui um beijinho e votos de bfds

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Pedro.
      Dias felizes em companhia das tuas amadas rosas...
      ~~~ Beijinhos. ~~~

      Eliminar
  13. Também creio que o facebook será um meio mais fácil e rápido de conhecer outros Dutras. Que a tua esperança se concretize.
    Bjos : )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, Catarina.
      Grata pelos simpáticos votos. Muitos deles não sabem a sua origem,
      Dias felizes. Bjos.
      ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~

      Eliminar
  14. Gostei de ler. Raízes que nos alimentam a saudade e nos prolongam no tempo.
    Um projecto que apaixona os grandes historiadores.
    Desejo que neste "passe a palavra" encontre todos os familiares dispersos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos vai ser muito difícil, Luís, pois eles proliferaram muito
      no Brasil, espalhando-se por vários estados, numa área muito vasta.
      Muito obrigada pelos generosos votos.
      ~~~ Beijo, amigo. ~~~

      Eliminar
  15. Parabéns Majo :) Gostei mesmo muito de ler o seu artigo. Engraçada a forma como os nomes se vão adaptando aos lugares :) E que belo lugar esse! A ilha do Faial!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gratíssima pela simpatia e carinho, Alda.
      Dias felizes.
      ~ Beijinho.
      ~ ~ ~ ~ ~ ~

      Eliminar
  16. Encontrar a família que a vida distanciou. Um bom projecto e uma esperança legítima. A música, o vídeo e o poema de Pessoa justificam ainda mais a minha visita a este seu espaço.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não escrevo poesia, porém ler poesia é um deleite que não dispenso;
      facto que me levou a criar tantos laços de amizade com poetas.
      Grata pela, sempre presente, simpatia e generosidade.
      Beijo, Graça.
      ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~

      Eliminar
  17. Querida Majo, é a primeira Dutra que conheço e gostei de saber da história que deu origem ao nome. Do arquipélago dos Açores só conheço a Ilha de São Miguel, mas espero, um dia, ter oportunidade de conhecer as outras. Também de Pessoa, do "Mar Português", destaco dois versos: "Deus quis que a terra fosse toda uma, / Que o mar unisse, já não separasse." Oxalá o mar que vos separa, volte a unir os membros da família Dutra.

    Um beijinho e um bom fim de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sempre generosa e amiga, querida Smile.
      Gratíssima pelo carinho e votos de bom sucesso.
      Dias calorosos e muito agradáveis.
      ~~~ Beijinhos. ~~~

      Eliminar
  18. Olá, Majo

    Um mergulho nas raízes e fazendo-nos parte dele. Um pedaço da História dos Açores em que os seus antepassados foram pioneiros. De certeza que ainda haverá Dutras por esse mundo fora e faço votos para que um dia, não muito distante, apareçam para festejar o presente.

    Minha amiga, desejo-lhe uma excelente semana.

    Bj

    Olinda

    ResponderEliminar
  19. ~~~
    Existem muitos Dutras no Brasil - passaram cerca de quatrocentos anos - porém, a grande maioria não conhece as suas origens...

    Grata pelos votos e carinho, retribuo os votos de excelente semana.

    ~~~ Beijinhos, Olinda. ~~~

    ResponderEliminar
  20. A história dos Dutra. Que não conhecia.
    Faial e, concretamente a cidade da Horta, foram durante algum tempo visita obrigatória para descanso (uma semana) em Setembro.

    Vangelis ... muito bom.

    Beijinho com votos de um bom fim de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei de saber que foi um local vivenciado e apreciado por ti.
      Grata, retribuo os votos.
      Beijinho, António.
      ~ ~ ~ ~ ~

      Eliminar
  21. Ora seja bem-vinda à blogosfera, Majo Dutra!
    Que os Dutras do outro lado do oceano correspondam ao apelo, deve haver muita coisa para partilhar.
    As maiores felicidades para este seu projecto, Majo, é daqueles em que vale a pena porfiar.

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ~~~
      Gratíssima pelos simpáticos votos de sucesso, AC.
      Dias felizes.
      Beijinho.
      ~ ~ ~ ~

      Eliminar
  22. saber as raízes faz parte de nós.
    muito interessante Majo.
    conheço os Açores mas não todas as ilhas, mas tenho lá amigos que não esqueço.
    o poema e a música muito bem escolhidos
    um bom fim de semana.
    beijinhos
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apreciei a aprovação do 'post', Piedade.
      Grata pelo carinho.
      Beijinhos.
      ~ ~ ~ ~

      Eliminar
  23. Quem sabe se está aqui o início de uma história da História? Pelo que li é mesmo. Esta narrativa das origens da sua família fez-me lembrar Vitorino Nemésio. O som deste apelido traz-me à memória qualquer coisa ténue da adolescência.
    Boa sorte nas pesquisas e que surjam muitas contribuições para a contrução da genealogia Dutra.

    Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ~~~
      Os votos de sucesso são excelentes, amigo.
      Muito obrigada.
      Beijos.
      ~~~

      Eliminar
  24. Boa terra, excelentes raízes.
    Não há nada como sentir-se orgulhoso da nossa origem
    Há muito que não vou aos Açores, mas não vou demorar!
    Oxalá esta linda iniciativa dê o seu fruto.
    Abraços de vida

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agradecida pelo seu desejo amigo de sucesso.
      Não deixe de visitar o museu de Horta.
      Grata pelo carinho.
      Abraço.
      ~ ~ ~

      Eliminar
  25. Respostas
    1. Não o vi, João.
      Deve ter acontecido um lapso, pelo qual, peço desculpa.
      Beijinhos.
      ~ ~ ~ ~ ~

      Eliminar
  26. Gostei imenso de conhecer a "sua" história, Majo. Não conheço nenhum Dutra, mas quem sabe se algum dos meus familiares no Brasil me leva até um dos seus? Ficaria felicíssimo se contribuísse para um reencontro.
    Continuarei atento às suas " Vivências" . Prometem...

    ResponderEliminar
  27. Também ficaria muito feliz, se os seus familiares me remetessem contatos de primos sul americanos. São muitos - proliferaram durante quatro séculos...
    Grata pela disponibilidade, carinho e simpatia.
    Beijo, amigo.
    ~ ~ ~ ~ ~ ~

    ResponderEliminar
  28. Bom saber um pouco mais de ti. Não conheço outro Dutra, mas conheço muito bem a tua ilha!

    Beijinho

    ResponderEliminar
  29. ~~~
    Obrigada, Ana, pela simpatia e carinho.

    Beijinho
    ~~~

    ResponderEliminar
  30. Eu sou dos que não tinham lido esta postagem. Gostei imenso! Também eu fui emigrante no Brasil, embora por pouco tempo. Por isso a minha sensibilidade vem ao de cima quando se fala de emigração. Aquela imagem do Faial toca-me profundamente. Só lá estive uma vez a caminho do Pico. Lembrar-me de Vitorino Nemésio em que aquelas aguas o inspiraram para o seu "Mau tempo no Canal"; Umas inscrições à beira-mar de estrangeiros que por ali passaram; O Café do Peter...É um lugar que me deixa uma grande nostalgia!
    A história de sua Família: Um colosso! Oxalá venha a ter retorno de algum parente afastado.
    Abraço,
    Manuel Tomaz

    ResponderEliminar
  31. Muito obrigada, Manuel.
    Abraço.
    ~~~

    ResponderEliminar