***

*** PAISAGEM CULTURAL MARÍTIMA DOS AÇORES ***
A montanha e parte da Ilha do Pico vistas de uma zona elevada da ilha do Faial. As ilhas estão separadas por um estreito de 8,3 Km de largura, que é designado por Canal do Faial, expressão que deu título ao romance de Nemésio. O mar agitado prejudicou este ano as atividades da Semana do Mar.
~~ A fotografia - «Moinhos da Ilha do Faial» - é da autoria de Fernando Araújo.~~

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

A RAMOS ROSA






«A noite trocou-me os sonhos e as mãos
dispersou-me os amigos
tenho o coração confundido e a rua é estreita» 

António Ramos Rosa nasceu a 17 de Outubro de 1924 em Faro.

Faleceu a 23 de Setembro de 2013, em Lisboa.












Clique sobre uma foto...


Saudação ao Poeta - Aqui


Fotos da cidade de Faro
Fontes -A B C D - E

25 comentários:

  1. Um nome grande da nossa literatura.

    ResponderEliminar
  2. Grande poeta, Ramos Rosa.
    Excelentes as fotos de Faro, de locais onde passei centenas de vezes ao longo de quase uma década. Mas onde isso já vai!...

    ResponderEliminar
  3. Boa noite, querida Majo!
    Adorei ver as fotos das casas branquinhas... Algarve?
    O poema final é lindíssimo! Um arco íris pros amigos, que lindeza de ternura!
    Bjm muito fraternal

    ResponderEliminar
  4. Que magnífica homenagem a tão grande HOMEM !

    Um beijo amigo.

    ResponderEliminar
  5. Um excelente poeta.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
  6. Bonita homenagem, Majo.
    Beijinhos, boa semana

    ResponderEliminar
  7. Adorei Majo. Obrigada 😀
    E gosto muito mais deste novo look 😉
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Bom dia
    Desconhecia este autor e a sua força de vida em cada verso.
    Voltarei aqui para beber nesta fonte.

    ResponderEliminar
  9. Sempre tão inspiradora a poesia de Ramos Rosa... Sou fã. Aliás conheci-o pessoalmente e era uma pessoa cheia de afecto e de espírito de humor. Gostei muito de o reler aqui.
    Um beijo, Majo minha Amiga.

    ResponderEliminar
  10. Mais um grande poeta algarvio! Duas horas passam rápido ao ver este vídeo relaxante. Excelente!
    Abraço,

    ResponderEliminar
  11. Excelente poeta este meu colega de editora que ainda tive o privilégio de conhecer...

    :)

    ResponderEliminar
  12. O tempo passa sem que passe tempo.
    E o relógio no bolso guardado
    Fica escondido, ou até parado,
    Porque um Amigo é um grande alento.

    Um bom trabalho, Majo.
    Parabéns.


    Beijo
    SOL

    ResponderEliminar
  13. Um poeta que gosto muito e que me fez triste quando nos deixou.
    Gostei da sua escolha e da homenagem.
    Beijinho grato pela partilha. :))

    ResponderEliminar
  14. Olá Majo embora não conhecesse o poeta, gostei muito das poesias e das fotos.
    Gostei do post.
    beijinhos, Léah

    ResponderEliminar
  15. Um poeta que descobri na adolescência e que nos deixou uma extensa e bela obra poética.
    Bom dia.

    ResponderEliminar
  16. Pode-se dizer que era alguém que tratava as palavras por "tu".
    Abraço

    ResponderEliminar
  17. Lindas fotografias e belíssimos versos! Parabéns! Realmente, o silêncio é o grito mudo da natureza que nunca silencia. Há uma hora do dia que as coisa ficam mais estáticas - à aurora. A aurora é maravilhosa e o alvorecer traz a maviosidade dos cantos em todo o canto. "Silêncio musa!" /- Palavras do um poeta. / Para mim frase seleta, / Porém que pouco se usa. / O silêncio é uma eclusa / Que eleva o nível e o veta. / E é a extinção completa / De situação confusa./ O silêncio é o primor / Do diálogo de amor / Pois sem falar, se diz tudo. / Silêncio, então, por favor! Minha alma sente o clamor / De outra alma em grito mudo./ Meu abraço fraterno. Laerte.

    ResponderEliminar
  18. Querida Majo, li várias vezes essa sua postagem e tinha certeza que havia comentado nela.
    Gostei muitíssimo!

    «A noite trocou-me os sonhos e as mãos
    dispersou-me os amigos
    tenho o coração confundido e a rua é estreita»

    Que pena que já faleceu, era um libriano, igual a nós, amiga.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  19. Desculpe, não falei do vídeo que é fantástico, a natureza emociona tanto que dá vontade de chorar pela sua grandiosidade, pela imponência. Nada mais lindo nesse mundo do que a própria natureza.
    Essa postagem... lhe agradeço muito!
    Beijo.

    ResponderEliminar
  20. Ramos Rosa sempre, porque sim!
    Encantado por esta postagem, Majo.
    Bj.

    ResponderEliminar
  21. Como a poesia de Herberto Helder, também a de Ramos Rosa é de difícil leitura e de difícil compreensão - para mim, claro! Muito profundas, muito complezas. Muito belas porém, na sonoridade e no todo.

    Beijinhos poéticos...

    ResponderEliminar
  22. Grande em tudo, na poética e no seu pensamento.
    Grata por esta excelente e cuidada partilha.
    BJ, Majo

    ResponderEliminar
  23. Um poeta maravilhoso!
    Grata pela partilha!
    beijinho

    ResponderEliminar
  24. Magnifica homenagem, a um autor que aprecio imenso!
    Mais uma vez, deixarei o video para depois... na próxima semana... já o verei sem problemas, no meu poiso habitual... aqui na Ericeira, não dá...
    Beijinho, Majo!
    Ana

    ResponderEliminar
  25. ~~~
    UM PROFUNDO AGRADECIMENTO PELA COLABORAÇÃO QUE DERAM EM ABRILHANTAR ESTA HOMENAGEM A

    UM DOS NOSSOS MELHORES SURREALISTAS, CUJA POESIA DEVE SER - COMO ELE EXPLICOU -

    ADMIRADA, MAS NÃO INTERPRETADA...

    ~~~ BEM HAJAM ~~~~~~~~~~~~~~~~

    ~~~~~~~~~~ AMIGOS, ABRAÇOS ~~~

    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar