Direitos autorais

******************************************* Sobre direitos autorais, agradeço que consulte o que consta no rodapé.*******************************************

sexta-feira, 17 de setembro de 2021

~~ A JOSÉ RÉGIO ~~

 

... Guitarras de Coimbra, imagens de pinturas ...

 *Breve homenagem no 120º aniversário do seu nascimento*

~~ 
José Maria dos Reis Pereira nasceu em Vila do Conde
17 - 09 - 1 901 ~~

 ~~ Vila do Conde, a cidade do Rio Ave ~~

 O poema que cito agrada-me bastante pelo seu acentuado presencismo e fina ironia que prova que o talento não se adquire com a prática.  (1 925)

 Dois anos depois, ainda estudante em Coimbra, é cofundador da revista Presença onde são divulgados trabalhos célebres dos maiores vultos da esfera cultural desse tempo -- escritores e artistas plásticos.

É um dos expoentes maiores da moderna Literatura Portuguesa. Em Coimbra, formou-se em Filologia Românica. Foi poeta, romancista, novelista, contista, cronista, dramaturgo, crítico e historiador de literatura. O seu espólio contém também um diário, coleções de cartas, arte e uma notável, de arte sacra.

Conviveu com intelectuais e  escritores do seu tempo,  frequentava saraus e tertúlias literárias. Tem duas casas-museu,  uma em Vila do Conde e outra em Portalegre onde lecionou. Também  funcionam como centro de estudos regianos. Veja aqui aqui      

~~ Adão e Eva ~~

«Olhámo-nos um dia
E cada um de nós sonhou que achara
O par que a alma e a carne pedia.

- E cada um de nós sonhou que o achara...

E entre nós dois
 Se deu, depois, o caso da maçã e da serpente.
... Se deu e se dará continuamente

Na palma da tua mão,
me ofertaste, e eu mordi o fruto do pecado.

- O meu nome é Adão...

E em que furor sagrado
Os nossos corpos nus e desejosos
Como serpentes brancas se enroscaram,
Tentando ser um só!

Ó beijos angustiados e raivosos
Que as nossas pobres bocas se atiraram,
Sobre um leito de terra, cinza e pó!

Ó abraços que os braços apertaram,
Dedos que se misturaram!

Ó ânsia que sofreste, ó ânsia que sofri,
Sede que nada mata, ânsia sem fim!
- Tu de entrar em mim,
Eu de entrar em ti.

Assim toda te deste,
E assim todo me dei:

Sobre teu longo corpo agonizante,
Meu inferno celeste,
Cem vezes morri prostrado...
Cem vezes ressuscitei
Para uma dor mais vibrante
E um prazer mais torturado.

E enquanto nossas bocas se esmagavam
E as doces curvas do teu corpo se ajustavam
Às linhas fortes do meu,
Os nossos olhos muito perto, imensos
No desespero desse abraço mudo,
Confessaram-me tudo!
... Enquanto nós palrávamos, suspensos
Entre a terra e o céu.

Assim as almas se entregaram
Como os corpos se tinham entregado.
Assim duas metades se amoldaram,
Ante as barbas, que tremeram,
Do velho Pai desprezado!

E assim Adão e Eva se conheceram:

Tu conheceste a força dos meus pulsos,
A miséria do meu ser,
Os recantos da minha humanidade,
A grandeza do meu amor cruel,
Os veios de ouro que o meu barro trouxe...

Eu os teus nervos convulsos,
O teu poder,
A tua fragilidade,
Os sinais da tua pele,
O sabor do teu sangue doce...

Depois...

Depois o quê, amor? Depois mais nada.
- Que Jeová não sabe perdoar!

O Arcanjo entre nós abrira a longa espada...

Continuamos a ser dois,
E nunca nos pudemos penetrar!»

~~ ***** ~~
Da sua primeira obra poética -- Poemas de Deus e do Diabo de 1 925
 
~~ Partiu em 1 969 ~~
 
( ... O seu sentido de humor ... )

~~ Novo epitáfio para um poeta ~~

 «Na terra nua, as asas desdobraram
Espigaram,
Deram flor.
Se ali passar alguém
Que tenha o olfato fino e o dom do humor,
Dirá que aquele morto é um amor:
Dá flor e cheira bem.»


Se gosta de literatura e aprecia José Régio, não deixe de ler o testemunho comovente de Maria João Falcão, licenciada em Filologia Românica. Foi sua aluna no Liceu de Évora
e sua grande amiga...   Selecione no ''motor de busca'' do seu blog, José Régio.

 ...  O FALCÃO DE JADE  ... 

Fontes das fotos - A B - C

30 comentários:

  1. Boa tarde, amiga Majo.

    Merecida homenagem a um dos maiores poetas portugueses, José Régio.

    E este sublime poema que aqui nos traz, é bem demonstrativo dessa enorme qualidade.
    O vídeo que aqui também nos traz, é igualmente belíssimo! Sempre gostei da guitarra portuguesa. Principalmente nas mãos geniais de Carlos Paredes.

    Parabéns, por esta excelente partilha!

    Continuação de ótima semana!

    Beijinhos, de carinho e amizade.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Musica Coimbrã e poemas lindíssimos, deslumbrantes, encantadores, que me fascinou ouvir, ver e ler.
    .
    Um dia feliz … cumprimentos.
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderEliminar
  3. Cuánta delicadeza y fina sensualidad tiene el poema.Me ha encantado.
    Gracias por compartirlo.
    Un abrazo,amiga.

    ResponderEliminar
  4. Poema maravilhoso e encantador.
    Adorei ler.
    Bjs
    Marli

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem-vinda a este blog, Marli Borges.
      Sinta-se à vontade.
      ~~~

      Eliminar
  5. Segunda homenagem (inteiramente merecida) que leio ao poeta.
    Beijinhos, bfds

    ResponderEliminar
  6. Felicito-a pela evocação feita a José Régio, figura marcante da literatura portuguesa.
    Conheço a casa-museu de Vila do Conde e também sei que a autarquia disponibiliza a venda dos seus livros.
    Abraço de amizade.
    Juvenal Nunes

    ResponderEliminar
  7. Belíssima homenagem a José Régio, a que me junto. Também gosto imenso do poema "Adão e Eva". Cheguei a sabê-lo de cor. É um autor que muito admiro. Tenho os livros dele na minha estante de poesia e muitas vezes o revisito. Obrigada, por partilhar, minha Amiga Majo.
    Um bom fim de semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  8. Como agradecer querida Majo Dutra? É uma grande delicadeza sua - percebeu bem o que Régio foi para mim desde pequenina quando o conheci e casa do meu pai, depois fui sua aluna, depois, depois...continuei a ser sua amiga até ele morrer. E muito chorei nesse dia. Tinha ido com o meu marido vê-lo a Vila do Conde (com João Gaspar Simões grande amigo nosso também) e estava muito doente, tinha tido um enfarto e não ia durar muito. Não o sabíamos os dois, mas sabíamos que era o adeus. Quando morreu, senti que um dos pilares da minha vida tinha caído e que eu tinha ficado mais desamparada. Para o meu pai foi um golpe enorme, nunca mais Portalegre foi a mesma coisa, nunca mais teve um amigo assim. Há pessoas que marcam profundo dentro de nós, são únicas e percebemos isso muito cedo...São insubstituíveis. >Um beijo amigo e obrigada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Comove-me quando diz que -- estando só -- recorda a sua voz...
      É um testemunho raro na História da Literatura.
      Muito obrigada.
      ~~~

      Eliminar
  9. Minha amiga, permito-me deixar um outro texto meu evocativo do encontro com Régio.
    https://falcaodejade.blogspot.com/2019/03/encontro-com-uma-pessoa-inesquecivel-o.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida amiga, selecionando no ''motor de busca'' do seu 'blog', aparecem-nos mais de vinte 'posts' sobre José Régio, incluindo os que apenas o mencionam...
      Este que citou é um dos primeiros.
      Sou muito grata pela sua atenção e carinho. Beijinho.
      ~~~~~

      Eliminar
  10. Gostei muito, amiga Majo! Belíssima homenagem com riquíssima poesia escolhida.

    Beijinhos e bom fim-de-semana!

    ResponderEliminar
  11. Lindo, lindo, lindo. Tudo. Texto, poema, homenagem. Por Jesus, me emocionei.
    Parabéns Majo, sua sensibilidade me encanta.
    Beijinhos ...

    ResponderEliminar
  12. Esse é o Cara dos Caras!
    E é a cara da poesia.
    Amiga Majo, eu diria
    Que entre criações raras
    Bastar-lhe-ia as preclaras
    Citações de um único canto:
    CÂNTICO NEGRO! Ele é tanto
    Grandioso que o coloca num altar
    À reverência e o louvar
    Como se ele fosse um santo.

    José Régio é tanto ou a mais
    Preclaro na poesia
    Que eu o compararia
    Com Pessoa e outros rivais:
    Sá de Miranda e outros tais
    À Flor Bela, Bocage e menos
    A Camões com seus acenos
    De um Deus, entre os mortais.

    Maravilhosa postagem, Majo! Temos que lembrar, reverenciar e enaltecer nossos próceres que elevaram o nome da cultura dos nossos países irmãos de mesma língua e destino. Abraços cordiais a ti e aos teus ilustres seguidores. Laerte Tavares.

    ResponderEliminar
  13. Olá, amiga Majo!
    Passando por aqui, relendo este excelente poema, que muito apreciei, e desejar um feliz fim de com tudo de bom.
    Beijinhos, de carinho e amizade.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderEliminar
  14. Me gustaron sus poema . Lindo homenaje. Te mando un beso

    ResponderEliminar
  15. Que maravilhosa postagem com esta obra belíssima do Régio, que bem foi homenageado aqui.
    Grato pela partilha.
    Bom fim de semana com paz e alegria.
    Beijo Majo.

    ResponderEliminar
  16. Obrigada, Majo, pela chamada de atenção. Como reparaste, nao tenho andado pela blogosfera há muito tempo . Nem meu Mar navego...
    Contudo relembrar Regio é sempre reabrir o espaço que ocupa na minha estante que nao é tão grande para Régio como deveria ser.
    Beijinho e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  17. Uma homenagem bem merecida a este homem do Norte que depois exerceu por todo o País.Li bastante da sua obra à procura de algo que me levasse a esse sentir tão nortemho e ainda não o encontrei. Seguirei. Foi o meu pai que me falou dele quando iamos pescar no rio Ave.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Experimenta ler 'A VELHA CASA'...
      Creio que vais gostar... Beijinhos.
      ~~~

      Eliminar
  18. Excelente homenagem ao grande escritor que foi José Régio.
    Beijo, querida amiga Majo.

    ResponderEliminar
  19. Não o conhecia... gostei muito. Obrigado! Meu abraço, amiga; boa semana.

    ResponderEliminar
  20. ¡Hola de nuevo, amiga Majo! ¡¡¡Que bueno!!! Y bello homenaje, amiga.

    Lo he leído detenidamente y me parece un verdadero encanto, con Mayúsculas que me saco más de una sonrisa.

    Un abrazo y bendiciones.

    ResponderEliminar
  21. Ainda bem que a minha amiga aqui recorda o grande Poeta. Comoveu-me também vir conhecer alguém que com ele privou.
    José Régio foi afastado dos manuais escolares e não se entende o motivo. Que seria do primeiro Modernismo sem a ação dos homens da «Presença»? Foram eles os seus grandes divulgadores.
    José Régio teve essa particularidade de conhecer muito bem o meu espaço geográfico, de o habitar durante muitos anos e de transpor para a sua poesia esse ambiente. Quando um alentejano (como eu) lê a «Toada de Portalegre», entra naqueles versos geniais:

    «( Lá vem o vento suão!,
    Que enche o sono de pavores,
    Faz febre, esfarela os ossos,
    E atira aos desesperados
    A corda com que se enforcam
    Na trave de algum desvão...)»

    Eu, que tenho exactamente a mesma formação de base, admiro-o profundamente enquanto ensaísta.
    Se me permite sugiro uma visita ao Centro de Estudos Regianos (também têm sítio na internet- https://www.joseregio.pt/).

    Não querendo ser maçadora, felicito-a pela homenagem que elaborou!
    Beijinho

    ResponderEliminar
  22. Foi com os enormes que aprendi, é com este nome enorme que ainda aprendo.Um dos que se imortalizaram e que deixa seus poemas como tetemunho da sua estatura.
    Como habitualmente, mais um trabalho que com que nos brinda e que se lê sempre com prazer redobrado. Obrigada, Majo
    Bji

    ResponderEliminar
  23. Brilhante homenagem a um Grande escritor.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  24. È um prazer vir ao teu blogue, querida Majo.
    É curioso que comprei há pouco tempo "Poemas de Deus e do Diabo". E gostei de passar dois meses em Vila do Conde, onde José Régio se faz mais presente.
    É brilhante a tua homenagem ao ilustre escritor. Como a Graça, também me junto.

    Feliz outono, minha amiga!

    Forte abraço.

    ResponderEliminar
  25. ~~~
    A OBRA MAIS LIDA DE JOSÉ RÉGIO, TALVEZ POR SER A MAIS DIVULGADA,

    LAMENTAVELMENTE É A DOS SEUS VERDES ANOS DE FACULDADE, EM QUE EM

    CRISE DE IDENTIDADE SE DEFINIA ASSUMIDAMENTE HERÉTICO E DESAFIAVA

    A ORDEM ESTABELECIDA. PORÉM, O AUTOR FOI MUITO MAIS ALÉM: ELE TEVE

    A OUSADIA -- NA IDADE MADURA -- DE DEFINIR.SE COMO UM HOMEM RELIGOSO

    SOCIALISTA, SENDO PROFESSOR LICEAL DO ESTADO NOVO.

    LIDO O TESTEMUNHO DE MJ FALCÃO, FIQUEI COM VONTADE DE O CONHECER MELHOR.

    GRATA A TODOS OS QUE COLABORARAM.

    ABRAÇOS CORDIAIS.

    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar

~~~~~~~ 💛 ESTIMADO LEITOR 💛 ~~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
~~~ Depois de colocar o seu comentário,
~~~~~~ aceda a «mensagem antiga»
~~~ e leia a que habitualmente lhe deixo.
~~~~~ ~ ~ ~ ~ Muito obrigada... ~ ~ ~ ~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~-~~~~~