terça-feira, 21 de junho de 2016

Homenagem ao Alentejo



Estão lindos os campos do Alentejo!

 Onde há artista de saber profundo
Que possa imaginar coisa mais bela
Mais delicada e linda neste mundo?!   

«Alentejo» de Florbela Espanca



«Alentejo»

Folheia-se o caderno e eis o sul
E o sul é a palavra. E a palavra
desdobra-se
No espaço com suas letras de
Solstício e de solfejo
Além de ti
Além do Tejo

Verás o rio e talvez o azul
Não o de Mallarmé: soma de branco e de vazio
Mas aquela grande linha onde o abstracto
Começa lentamente a ser o
 Sul

Outro é o tempo
Outra a medida

Tão grande a página
Tão curta a escrita

Entre o achigã e a perdiz
Entre o chaparro e o choupo

Tanto país 
E tão pouco

Solidão é companheira
E de senhor são seus modos
Rei do céu de todos
E de chão nenhum

À sombra de uma azinheira
Há sempre sombra para mais um

Na brancura da cal o traço azul
Alentejo é a última utopia

Todas as aves partem para sul
Todas as aves: como a poesia. 

Manuel Alegre

Cante alentejano  

Património Cultural da Humanidade





A
                                   
B
                                                           
       Foto - «Campos do Alentejo» do Pintarest
        A e B - Fotos da autoria de Francisco Clamote - Daqui

32 comentários:

  1. Eu me penitencio. Alentejo e Trás-os-Montes, são as províncias que menos conheço. Mas adoro o cante alentejano. Os campos cheios de papoilas em flor, são uma beleza. E o poema de Manuel Alegre, muito bonito.
    Um post muito feliz.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Elvira, pela sua generosa apreciação.
      Abraço.
      ~~~

      Eliminar
  2. Magnífica e justa homenagem ao Alentejo.
    Que se cante e encante, portanto.
    Beijinho, Majo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agradeço o apoio e incentivo.
      Beijinho, António.
      ~~~~~~~~~~~~

      Eliminar
  3. Gosto do Alentejo, acabo de vir de lá, mas como gosto das Papoilas!

    Papoilas vermelhas
    Entre verdes trigais
    Corados por sol de estio,
    Ventos ondulantes
    Que atiçam...
    Inchando velas
    De campos silvestres;
    Lençóis que cobrem a seara;
    Chapéus até às orelhas;
    Pinheiros de copa baixa,
    Poucas casas,
    menos gente;
    Fumarada,
    Chão ardente.

    Com um grande abraço desde Valência do Cid

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É muito gratificante saber que o 'post' agradou-te.
      Agradeço o poema que abrilhanta esta página e o carinho.
      Grande abraço, Joaquin.
      ~~~~~~~~~~~~~~~

      Eliminar
  4. Confirmo que os campos no Alentejo estavam, há dias, uma beleza. Hoje, porventura, já não tanto, porque este calor seca as plantas e as flores.
    Obrigado pela publicidade. Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Duarte do comentário transacto diz que ainda estão lindos...
      Tive muita dificuldade em selecionar a música, porque este canto
      ainda está muito mal representado no youtube.
      Foi um privilégio poder contar com as suas fotos.
      Beijinhos.
      ~~~~

      Eliminar
  5. Bonitas fotos! Adoro os campos de papoilas!

    Continuação de boa semana, Majo:)

    ResponderEliminar
  6. É muito bom saber que gostou, Isabel.
    Dias muito agradáveis.
    Beijinhos.
    ~~~

    ResponderEliminar
  7. Respostas
    1. Grata pelo apoio.
      ~~~ Beijinho
      ~~~~~~~~~~~~

      Eliminar
  8. tão perto e é-me tão longe....
    Alentejo, verão, solstício, que melhor homenagem?

    Beijinho, Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico agradecida pela atenção carinhosa.
      Beijinho.
      ~~~~~

      Eliminar
  9. Estava previsto irmos passear pelo Alentejo daqui a uns dias.
    Mudámos e vamos para o Algarve.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Algarve, acabado o ano letivo, fica insuportável para os residentes
      e eu fujo para o norte, pois já não tenho pachorra para aturar 'bichas'
      e praias poluídas.
      Beijinhos.
      ~~~~

      Eliminar
  10. Uma bonita homenagem a toda a riqueza que o Além Tejo encerra. As planícies douradas, as papaoilas em sangue, os campos de trigo ondulantes, a simpatia das suas gentes, as sombras coladas às casas brancas no pico do calor...

    Um beijinho, querida Majo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo com a sua apreciação do Alentejo.
      Fico reconhecida por deixar tão belo registo.
      Beijinho, querida Smile.
      ~~~~~~~~~

      Eliminar
  11. Passei lá o último fim de semana e teria ficado mais dois ou três :)Tem lugares maravilhosos. Bela homenagem Majo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Alda, é muito agradável encontrar a sua opinião.
      Fico muito grata pelo incentivo.
      Beijinho.
      ~~~~~

      Eliminar
  12. Sim, o Alentejo é lindo! passei por lá há dias e estava belo. Comtanta variedade de flores, de giestas, de urzes...
    E tanto poeta o soube cantar! Gostei dos versos da Florbela. O Manuel Alegre é sempre feliz nos seus versos.
    beijinhos!

    ResponderEliminar
  13. ~~~
    É muito gratificante ter a sua opinião. MJ.
    Fico reconhecida pelo carinho e incentivo.
    Beijinho.
    ~~~~

    ResponderEliminar
  14. Não tardei, não, e que vejo?
    A exuberante paixão quente
    do sangue vivo corrente
    das papoilas do Alentejo.

    Óptimo trabalho: poesia e imagens.
    Bj.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agostinho, fico agradecida pelo apoio e incentivo.
      Abraço, amigo.
      ~~~~~~~~~~~~~~

      Eliminar
  15. Madrinhamiga

    Sou meio alentejano, minha mãe era de Portalegre e por isso me deslumbro com este post. Ainda por cima sou amigo do Alegre; e a Florbela sempre me encanta. Um conjunto fabuloso onde nem falta a cante - é uma obra prima

    Bjs da Raquel e qjs do afilhado Leãozão

    Na NOSSA TRAVESSA o coronel Lopes Monteiro espera-te...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei de saber que apreciaste este 'post'
      e que não esqueceste a madrinha...
      Abraços e beijos para ti e tua simpática Raquel.
      ~~~~~~~~~~~

      Eliminar
  16. Linda homenagem à minha terra Mãe! Grata.

    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico feliz por ter gostado.

      Beijo, Ana.
      ~~~~~~

      Eliminar
  17. Que lindo é o Alentejo, Majo!! Que lindo é o nosso país!
    Adorei o poema que não conhecia. Gosto muito da poesia do Manuel Alegre.

    Uma vez mais parabéns pelo teu bom gosto!

    Beijinhos alentejanos...

    ResponderEliminar
  18. É muito gratificante saber que gostaste.
    Uma apreciação muito generosa...
    Beijinhos, Graça.
    ~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
  19. Lindo canto Alentejano.
    Tenho um amigo da região(Edumares) que bem canta a sua terra com suas tradições.
    O amor ao seu torrão é a coisa mais linda que podemos cantar.
    O poema é de uma beleza impar, muito bem escolhido para esta homenagem.
    Parabéns Majo nesta dedicada postagem.
    Meu abraço com carinho.
    Bjs de paz.

    ResponderEliminar
  20. Maravilhosa homenagem ao Alentejo, que confesso não conhecer muito...
    Mas cuja alma da terra e das gentes... ficou aqui muitíssimo bem representada, através destas escolhas brilhantes, Majo!
    Mais um post formidável!
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar