***

*** PAISAGEM CULTURAL MARÍTIMA DOS AÇORES ***
A montanha e parte da Ilha do Pico vistas de uma zona elevada da ilha do Faial. As ilhas estão separadas por um estreito de 8,3 Km de largura, que é designado por Canal do Faial, expressão que deu título ao romance de Nemésio. O mar agitado prejudicou este ano as atividades da Semana do Mar.
~~ A fotografia - «Moinhos da Ilha do Faial» - é da autoria de Fernando Araújo.~~

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

PARIS AU MOIS D'AOÛT


O filme que faz bodas de ouro...

«De lágrimas e risos
Era feito o nosso amor
Que temendo o pior
Vivia cada dia intensamente.
Cada rua, cada pedra
Parecia ser feita apenas para nós,
Éramos os únicos na terra
Em Paris, no mês de Agosto.»

~~* ~~
~~~ Antes ~ 1966









~~~ Agora ~ 2016 







 La chanson - 2015

  

«Balayé par september
Notre amour d'un eté»
...
Tradução






~ Fontes das fotos...
A - B - C - D - E - F - G

43 comentários:

  1. Hoje, enquanto regressava a casa, ouvi algumas canções francesas. Senti saudades.
    Tantos quilómetros palmilhei naquelas ruas de Paris...

    Também me sentei nas margens do La Seine a comer uma delicosa sandes comprada num pequeno take-out.

    : )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Devem ser recordações intensas...
      Paris é linda e os seus bairros carismáticos.
      Bjos ~~~~~~~~~~~~~~~

      Eliminar
  2. Gosto de ouvir Charles Aznavour. Parece que vem cantar a Lisboa em dezembro. 92 anos... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma idade belissima e uma voz marcante, ambas ainda no ativo...
      Bjos sorridentes ~~~~~~~~~~~~~~~~

      Eliminar
  3. Olá Majo, que legal este comparativo na historia.
    O tempo passa muito rápido é o que sentimos.
    Grata partilha deste musical com esta bela dupla, faz tempo que não os ouvia.
    Gostei.
    Um abração com carinho.
    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De facto o tempo passa depressa de mais.
      Agradeço a participação, amigo.
      Grande abraço.
      Beijo.
      ~~

      Eliminar
  4. Não conhecia a canção
    Pena, pois no passado dia 20
    teríamos festejado com a sua audição

    (fácil começar um amor em Paris
    e acabar em menos de um triz)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais uma vez, fizeste-me rir com a tua rima...
      Mais uma vez, muitos parabéns pelas tuas 'bodas de ouro'.
      Beijo sorridente, amigo.
      ~~~~~~~~~~~~~~

      Eliminar
  5. Querida Madrinhamiga

    Foi no Casablanca que ficou eternamente para a História Cinematográfica que Humphey Bogart diz para Ingrid Bergman Teremos sempre Paris. Se me é permitido a afirmação, a frase é bem o significado do Paris é sempre Paris que dizem ter sido proferida por De Gaulle no dia da libertação da capital. Talvez…

    Aznavour é o cantor de Paris. Outros têm cantado a Cidade Luz. Mas, Aznavour é sempre… Aznavour

    Vivi uns tempos (para mim muito curtos…) em Paris, mais precisamente na Rive Gauche e sempre que lá volto ouço o Charles Aznavour sem ver o Charles Aznavour. Agora dizem-me que em Dezembro deve voltar a Lisboa. Onde quer que seja espero estar lá. Aznavour é… o máximo; com 92 anos é mais do que o máximo!

    Bjs da Raquel e qjs do afilhado Leãozão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo contigo, afilhado, «Paris é sempre Paris»...
      Também hei-de ir ver o Aznavour...
      Abraços e beijos para ti e Raquel.
      ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

      Eliminar
  6. OI MAJO!
    DOIS TEMPOS, 1966 E 2016, GRANDES DIFERENÇAS, AS ROUPAS, OS CARROS, AS RUAS, AS EDIFICAÇÕES. É MUITO LEGAL PODER VER ESTAS MUDANÇAS QUE OCORRERAM PARA TODOS NÓS MAS, VÃO FICANDO NO ESQUECIMENTO.
    DOIS ÍCONES CANTANDO JUNTOS, DEMAIS.
    GRATA PELA VISITA AO SÓ PRA DIZER.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Zilani,
      foi uma surpresa agradabilíssima esta sua visita ao meu espaço.
      É muito agradável saber que gostou desta publicação.
      Terei sempre muito gosto em a receber e pode contar sempre com o meu carinho.
      Abraços.
      ~~~

      Eliminar
  7. Sempre maravilhosa essa comparação de épocas; recordando tantos costumes, tantas músicas que trazem saudades imensas. E Aznavour? O máximo dos máximos! um dos meus favoritos, emociona muito.
    Saudades de Paris, faz tempo... Bela tua postagem, Majo.
    beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma apreciação simpática e carinhosa, mas sabedora.
      Apraz-me saber que comungamos gostos semelhantes...
      Beijo grato, estimada Tais.
      ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

      Eliminar
  8. Et si j'aime Paris.
    La plus belle de tous les cités que j'ai visitée.
    Bisous

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cela c'est vrai bom gout, mon cher ami.
      Bisous
      ~~~~~~~~~~~~~~~~~

      Eliminar

  9. Paris! Diferente mas sempre bela,
    em Agosto ou em qualquer outro mês.
    E Charles Aznavour um Senhor Artista.

    Ouvi-o aqui com imenso prazer.
    Obrigada, cara Majo. Tenha um excelente dia.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    2. É muito agradável saber que o 'post' é do seu agrado.
      Fico reconhecida pelo carinho, estimada amiga.
      Dias felizes.
      Beijinhos.
      ~~~

      Eliminar
  10. Uma comparação de duas épocas incomparáveis... Podemos achar que a preto e branco era tudo mais sereno, mas seria? Um poema fantástico. Uma canção lindíssima. Paris sempre a deixar-me saudades. Um dia muito bom para si, Majo.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  11. Para nós, foi uma época confrangedora... À medida que o ditador envelhecia, a polícia política tornava-se mais prepotente. Por qualquer informação de delatores mesquinhos, iam presos todos os clientes presentes num café em Lisboa, independentemente do número, a ordem era para prender todos.
    Eu já nem frequentava cafés, apenas pastelarias, porque um primo meu, também menor, passou uma noite nos calabouços...
    Porém, as pessoas continuavam a apaixonar-se, a viver intensamente o amor ao som de Aznavour, Piaf, Bécaud...
    Agradeço a sua simpática apreciação, querida amiga.
    Dias muito aprazíveis.
    Beijos.
    ~~

    ResponderEliminar
  12. Momentos únicos de recordações inesquecíveis... Tempo que não se apaga jamais!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  13. Concordo em absoluto, estimada Célia.
    Dias agradáveis.
    Abraço.
    ~~~

    ResponderEliminar
  14. O antes e o depois, separados por 50 anos. Do ano de 1966 fica-nos a boa recordação do grande Charles Aznavour. Outras recordações, infelizmente, não são as melhores.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  15. As outras são, mesmo, para esquecer, Manuel.
    Recordemos com alegria e cumplicidade as melhores!
    É agradável saber que gostou de recordar Aznavour,
    deixando o registo do seu parecer como incentivo.
    Dias muito aprazíveis...
    Abraço grato.
    ~~~~~~~

    ResponderEliminar
  16. Embora viva em Lisboa, considero Paria a minha cidade, ou melhor "A Cidade", todos os anos vamos até lá e tenho que confessar, que desconhecia este filme do Pierre Granier-Deferre, (já tomei nota para o comprar)- Por outro lado, aqui em casa também se adora o Charles Aznavour, não só o poeta, compositor e intérprete, mas também o actor.
    PS - Recentemente vimos na TV5 Monde uma homenagem, que lhe foi feita, em que diversas gerações de intérpretes visitavam as suas canções.
    Muito obrigado por este post magnifico.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se vai todos os anos a Paris, é um privilegiado, MV.
      Deve ter uma relação familiar com um dos seus bairros...
      Gostei de saber que também aprecia Aznavour.
      Consta que vem atuar em Lisboa, no fim deste ano.
      Agradeço eu, ter deixado este incentivo...
      Dias felizes.
      ~~~~~

      Eliminar
  17. Querida Majo, como o tempo passa!
    Adoro este tema e sempre que o ouço, como agora, fico nostálgica.
    Adiei sempre, por um motivo ou por outro, uma viagem a Paris e agora não sei se ainda vou a tempo.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É evidente que ainda tens muito tempo pela frente,
      Paris é lindo em qualquer idade, querida amiga...
      Porém, não vás em Agosto, pois é insuportavelmente
      quente. A melhor altura é Maio...
      Beijinhos animadores.
      ~~~~~~~~~~~

      Eliminar
  18. O meu sonho é conhecer essa cidade linda. Continua sempre tão glamourosa.
    Eu adoro filmes franceses. Vou procurar esse que tu citaste na postagem.
    Belíssimas imagens. Adorei a postagem.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É muito agradável saber que este 'post' foi tanto do teu agrado...
      Todas as pessoas merecem ir a Paris, tens de pensar seriamente nisso.
      Apreciei muito a tua simpática 'visita'.
      Beijinhos.
      ~~~~~

      Eliminar
  19. não conheço Paris...
    um dia, quem sabe!
    :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem que ser, «e o que tem que ser, tem muita força».
      Dias animadores, estimada amiga.
      Bj ~~~~~~~~~~~~~~~~

      Eliminar
  20. Os anos sessenta marcaram o século XX. Houve uma viragem em muitos domínios e nada ficou como dantes.
    E fiquei nostálgico desse tempo. O teu excelente post comoveu-me (estou a ficar velho, está visto).
    Majo, tem um bom resto de semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É bom ter as emoções «à flor da pele»...
      Gostei de saber que o «post' foi do teu agrado.
      Vou publicar poesia amanhã, que infelizmente não é minha, mas penso que vais gostar de recordar.
      Dias agradáveis.
      Beijo, amigo.
      ~~~~~~

      Eliminar
  21. Belissimas recordações. Ando apensar .... (?)ir ver /OUVIR Aznavour em dezembro.beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também ando a pensar seriamente no mesmo.
      Grata pelo carinho.
      Beijinho.
      ~~~

      Eliminar
  22. Olá Majo gostei muito de sua visita lá no meu blog.
    A postagem é ótima, e trouxe lembranças e um pouco de nostalgia em 1998,(no outro século,rsrs),foi a última viagem ao exterior que consenti em fazer, tenho horror de viajar de avião, e fomos a Paris, amei é realmente lindo,se não fosse claustrofóbica voltaria.Gosto demais de Charles Aznavour,vou procurar este filme pela internet, com toda certeza vou amar.
    beijinhos, Léah
    Gostei de tudo neste seu post

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Léah, esta sua visita ao meu espaço é muito agradável pois tenho
      a certeza que é o início de saudável troca de ideias e saberes.
      Com um computador é mais fácil andar de avião, pense nisso.
      Fico grata pelo carinho e incentivo.
      Beijinhos.
      ~~~~~

      Eliminar
  23. Ui, que diferença, Majo!!! É assim: «mudam-se os tempos, mudam-se as vontades/ muda-se o ser, muda-se a confiança...» Já lá dizia o nosso Camões.

    Agora essa canção!! Bom!! O que eu gosto de a ouvir. E todas as outras do Aznavour... Bem escolhido.

    Beijinhos aznavoureiros...

    ResponderEliminar
  24. Também gosto muito de ouvir Aznavour e agora pude constatar que é muito apreciado
    por pessoas de gerações posteriores à nossa.

    Beijinhos musicais, Graça.
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
  25. Adorei a comparação de épocas distintas... e a junção de duas gerações distintas nesta lindíssima música que não conhecia...
    Uma bela homenagem a esta cidade maravilhosa, nesta magnifica publicação...
    Beijinhos! Feliz domingo, Majo!
    Ana

    ResponderEliminar
  26. É assaz agradável ter o seu parecer, Ana.
    Continuação de férias muito agradáveis na bela Ericeira.
    Beijinhos.
    ~~~

    ResponderEliminar