sábado, 10 de setembro de 2016

Recordar Vitorino Nemésio



 Nasceu em 1901, na então antiga, «Mui Notável» e ilustre vila da Praia «da Victória», da Ilha Terceira.
Parte para estudar em Coimbra, onde casou-se em 1926 com uma faialense; visita as ilhas e conserva muito vincado um sentimento especialíssimo a que chamou
 A ç o r i a n i d a de
Faleceu na capital, em 1978, apaixonado por Margarida Victória, uma 'princesinha' natural da Ilha de S Miguel.

Carvalho Araújo - 1930/1973 


Um modo singular de cantar a saudade das ilhas...

~~~ Navio
Tenho a carne dorida
Do pousar de algumas aves
Que não sei de onde são;
Só sei que gostam de vida
Picada em meu coração.
Quando vêm, vêm suaves
Partindo, tão gordas vão!

Como eu gosto de estar
Aqui na minha janela
A dar miolos às aves!
Ponho-me a olhar para o mar:
- Olha um navio sem rumo!
E, de vê-lo, dá-lho a vela,
Ou sejam os meus cílios tristes:
A ave e a nave, em resumo,
Aqui, na minha janela.

Nem Toda a Noite a Vida - 1953 



~ ~ ~ A Concha 

A minha casa é concha. Como os bichos
Segreguei-a de mim com paciência
Fachada de marés, a sonhos e lixo,
O horto e os muros só areia e ausência 

Minha casa sou eu e os meus caprichos.
O orgulho carregado de inocência
Se às vezes dá uma varanda, vence-a
O sal que os santos esboroou nos nichos. 

E telhados de vidro, e escadarias
Frágeis, cobertas de hera, oh bronze falso!
Lareira aberta o vento, as salas frias. 

A minha casa... Mas é outra história:
Sou eu ao vento e à chuva, aqui descalço
Sentado numa pedra de memória. 

O Bicho Harmonioso - 1938


Cidade da Praia da Vitória - Ilha Terceira.
... ... ...
«A geografia, para nós, vale outro tanto como a história...
Como as sereias, temos uma dupla natureza: somos de carne e de pedra.
Os nossos ossos mergulham no mar...
Um dia, se me puder fechar entre as quatro paredes da Terceira, sem obrigações
 com o mundo e com a vida civil já cumprida, tentarei um ensaio sobre
 a minha açorianidade subjacente que o desterro afina e exacerba...»

O destino quis que tarde se apaixonasse, não possibilitando a concretização deste sonho
antigo, já expresso em 1932



- Fontes.
 - B - C

18 comentários:

  1. Gosto muito deste escritor e em pequena lembro-me de ver o programa que tinha na televisão com a famosa frase "se bem me lembro..."
    beijinhos

    ResponderEliminar
  2. É sempre bom conhecer novas culturas e, principalmente, novos escritores. Gostei muito das palavras deste escritor. Obrigada por compartilhar essa preciosidade para todos nós. Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. Vitorino Nemésio foi uma pessoa invulgar. A sua poesia é, ao mesmo tempo de grande profundidade e de grande delicadeza. O seu livro "Mau tempo no Canal" é surpreendente. Que bom, Majo, ler estes poemas neste seu espaço! As imagens dos Açores são sempre mágicas...
    Um beijo e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  4. Vitorino Nemésio é uma figura incontornável "Se bem me lembro"... de que sempre me lembro! Tinha um estilo inconfundível. Tive o privilégio de visitar a casa onde nasceu, na Ilha Terceira. Ao subir para o barco que nos levou do Faial para o Pico, recordei o seu romance inspirado nestas aguas "Mau Tempo no Canal".
    Bfds.
    Bjo.

    ResponderEliminar
  5. Não deixemos morrer os nossos mortos
    Bela partilha
    Bj

    ResponderEliminar
  6. ✿⊰ه° ·.
    Muito lindo, exaltação a linda Ilha Terceira!...

    Ótimo fim de semana!
    Beijinhos.

    ⎝✿⊰ه° ·.

    ResponderEliminar
  7. Amiga Majo, só agora vim à net, mas vejo com satisfação que o "problema" com este post está resolvido.
    Escolheste um poeta que admiro imenso, pela profundidade do seu saber e amor ao Açores que se reflecte na sua maravilhosa obra.
    Também me lembro bem do "Se bem me lembro" :)

    Um beijinho grato por mais uma maravilhosa partilha

    ResponderEliminar
  8. Muito bonito e sentimentos à mostra... Gostei muito do poema das aves, tocou-me.
    Procurarei mais sobre esse poeta.
    Obrigada por trazê-lo ao meu conhecimento, Majo.
    Beijo, querida amiga.

    ResponderEliminar
  9. Dos Açores, apenas conheço São Miguel.
    Muito bom, ler aqui Vitorino Nemésio.
    :)

    ResponderEliminar
  10. Recordar é viver, diria o Vitorino Nemésio do "Se bem me lembro". Lembrá-lo como um poeta e uma personalidade de excepção, é mais um serviço prestado pela Majo aos seu seguidores. Bem haja!

    ResponderEliminar
  11. Adorei recordar este autor... que o meu pai apreciava tanto...
    Um post que me trouxe gratas recordações, Majo!
    Passando por aqui, mais esporadicamente, do que o habitual, pois enquanto estiver na Ericeira, a minha Net tem alguns condicionalismos... aliás o acesso à mesma até estará a acabar a qualquer momento... espero tê-la de volta no inicio da próxima semana... mas o carregamento tem sido sempre problemático... esperemos que desta vez seja a excepção... e consiga ter Net em breve, sem problemas de maior, durante a próxima semana...
    Beijinhos! Bom domingo...
    E aproveitando... enquanto a Net permite... a espreitar alguns dos seus posts mais recentes...
    Ana

    ResponderEliminar
  12. Recordo-me de ver na televisão o célebre programa de Vitorino Nemésio "Se Bem me Lembro", mas só muitos anos depois li o livro "Mau Tempo no Canal", de que gostei muito. Dos poemas que nos oferece, tocou-me especialmente o que se intitula "A Concha".
    Bom domingo.

    ResponderEliminar
  13. Meu querido Professor de História da Cultura Portuguesa! Que me deu a conhecer Fernando Pessoa; que era tão sabedor de tudo; que era tão sensível ao ponto de dizer numa oral: «Não se ponha a chorar, senão ponho-me eu aqui a chorar também...»; que nas aulas, como Anfiteatro I cheio até à porta falava de tudo e uma pessoa não conseguia tirar uns apontamentos de jeito; que.. que.. que... Estaria a qui o resto da noite a lembrar episódios. Adorei o «Mau Tempo no Canal» e o livro de memórias da Margarida Victória (em dois volumes)

    Beijinhos açorianos...

    ResponderEliminar
  14. muito oportuno recordar aqui Vitorino Nemésio que foi um excelente professor, intelectual, poeta e escritor.
    beijinhos
    :)

    ResponderEliminar
  15. Com este belo canto em poema acende uma vontade de conhecer, o que nossa mente vai construindo com a leitura.
    Uma bela apresentação deste poeta e apresentação de um lugar maravilhoso.
    Valeu Majo.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  16. Como me lembro dele e das suas aparições na televisão, Majo.

    ResponderEliminar
  17. ~~~~~~~~~

    MEUS QUERIDOS AMIGOS, MUITO GRATA POR TEREM PARTICIPADO, ABRILHANTANDO

    ESTA PÁGINA DE MEMÓRIA DEDICADA A UM DOS NOSSOS ILUSTRES INTELETUAIS.

    ACONSELHO A LEITURA DO REGISTO DA GRAÇA SAMPAIO QUE FOI SUA ALUNA E

    O RECORDA SEMPRE COM MUITA EMOÇÃO E SAUDADE.

    A TODOS, ABRAÇOS CORDIAIS, ESPECIAIS PELA SINTONIA.
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar