***

*** CORES DE OUTONO NO ALTO DOURO VINHATEIRO ***
Património da Humanidade, estatuto atribuído pela UNESCO em dezembro de 2001, como Paisagem Cultural.
É um lugar com características geológicas e um microclima peculiares, onde se produz o Vinho do Porto e se fabrica vinho há 2 000 anos...
~~ A autoria da foto é do amigo Rui Jorge Pires, administrador do blogue Olhar de Ouro ~~

sábado, 4 de março de 2017

O CAFÉ PUSHKIN




   ~~ Luxo  e  requinte  em  Moscovo! ~~   



 A «Primavera das Nações» de 1988, as Revoluções do Outono e a
queda do muro de Berlim em 1989, determinaram o colapso do comunismo
ratificado definitivamente em 1991, com a dissolução do Pacto de Varsóvia.
Desde então, a Rússia tem fomentado uma economia de mercado moderna
e uma das indústrias que tem merecido maior investimento é a do turismo.
Muito degradados, recuperaram-se museus, teatros e edifícios emblemáticos
do tempo dos czares, com o mesmo fausto e requinte da época imperial...


Neste espírito de empreendedorismo, o russo Andrei Dellos recuperou
uma mansão antiga, em estilo barroco, situada no centro histórico
 da antiga Moscovo czarista, para aí instalar um negócio de restauração.
Situada perto do Teatro Pushkin, ADellos homenageou Gilbert Bécaud,
dando-lhe o nome «Café Pushkin» um lugar imaginado  numa canção de
sucesso, «Nathalie», escrita  por Pierre Dellanoe e  composta pelo cantor,
após uma estadia na capital russa. A canção, conhecida em toda a Europa,
tornou o restaurante cinco estrelas, imediatamente famoso.
Foi inaugurado em 1999, no bicentenário do nascimento do poeta russo,
na presença de Bécaud, 35 anos depois de ter sido  inventado na canção.

Os vários ambientes são elegantes e deliciosos, veja aqui.
Conta com restaurante 'gourmet', salas de chá, pastelaria e cervejaria,
os espaços estão todos ocupados, incluindo o mezanino e a biblioteca.
Andrei Dellos é um moscovita de pai parisiense e mãe russa que
estudou engenharia e arte, acabando por ter sucesso na restauração.
Além do Café Pushkin, que é um dos melhores restaurantes europeus,
já possui Turandot, também em Moscovo e New York Betony, em NY.

O nome da canção não foi escolhido ao acaso, porque Catherine também
foi o nome da bela esposa de Alexander Pushkim, um dos maiores poetas
russos, muito amado, é considerado o fundador da literatura moderna
 do seu país. Morreu novo, num duelo, para salvar a honra de sua amada.
Pertencia à nobreza, porém, é homenageado em toda a Rússia. Em Moscovo,
com o teatro, um vasto museu de belas-artes, uma praça com a sua estátua...

Catherine termina com o ritmo de Kalinga,
 canção, em coro, muito apreciada na Rússia.



O poema - X
O vídeo legendado - Y
Fontes das fotos -A - B - D - E - F -

36 comentários:

  1. Não conhecia esse café mas é lindíssimo! :) Beijinhos e bom fim de semana.
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  2. Olá Majo! Já conhecia a história deste Café. Confesso que, se um dia visitar esta paragens. lá irei tomar um cafezinho...
    Bom fim de semana e um abraço.

    ResponderEliminar
  3. Amiga Majo:
    Desconhecia a origem desta bela canção romântica do anos 60.
    Embora aprecie estas restaurações e saiba apreciar a beleza, faz-me confusão tanto luxo quando sei que tanta gente vive miseravelmente .

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  4. Estupenda reportagem onde viajei mentalmente, por fantásticos lugares! E, ainda o brinde de ouvir Gilbert Bécaud! Que ótimo final de sábado! Obrigada!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  5. Um local maravilhoso a julgar pelas imagens. Obrigada pela partilha. Gostei de recordar a canção.
    Um abraço e bom domingo.

    ResponderEliminar
  6. Maravilha de postagem, é um colírio para os olhos e o espírito em ver ambientes de tão grande gosto, refinados. E ouvir GILBERT BECAUD - NATHALIE foi gratificante. Fui no link que você indicou, mais bom gosto!
    Beijo, querida Majo. Um ótimo domingo e com muitas ideias...

    ResponderEliminar
  7. Uma arquitetura imponente e muito luxo. Um verdeiro deleite essa sua postagem minha amiga
    E que prazer ouvir o Gilbert Becaud interpretando esta linda canção
    Um ótimo domingo
    Um beijo, Majo

    ResponderEliminar
  8. Postagem irrepreensível, com qualidade.
    Conhecia a canção e pouco mais. O que me causa estranheza é o abismo que há entre estes lugares e o comum dos mortais.
    A Rússia parece ter regressado aos tempos dos czares, aliás, o presidente anda a treinar-se para desempenhar o papel com afinco.
    Bj.

    ResponderEliminar
  9. Olá Majo.
    Prédios belíssimos, que demonstram o bom gostam da antiga Moscou. Pena que o comunismo tenha destruído a tradição cultural da Rússia. Eram de outra época Pushkin, Dostoievski, Tolstoi, Tchekhov. Pena que esses talentos não mais se repetirão depois que Lenin e, de modo especial, Stalin destruirão quase tudo, em termos de cultura.
    Um bom domingo
    Um abraço.
    Pedro

    ResponderEliminar
  10. Oi Majo!
    Sempre tenho a impressão que na Rússia tudo é muito requintado e luxuoso, resquício do tempo dos Kzares...
    Mas, sem dúvida, sou louca para conhecer a catedral de São Basílio em Moscou um dia....


    Beijinhos e uma boa semana
    Bia <º(((<

    ResponderEliminar
  11. Gostei imenso de saber a história e ver as imagens do Café Pushkin. Adorei voltar à minha juventude com Gilbert Bécaud. Um bom domingo, Majo.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  12. Majo...fiquei maravilhada!
    As fotos são grandiosas e obrigada pela partilha!
    Veja se gosta:
    https://mgpl1957.blogspot.pt/2017/03/poema-na-velhice.html
    bj amigo

    ResponderEliminar
  13. Muito interessante.
    Já estive na Rússia, mas não em Moscovo. Por isso, não conhecia.
    Bom domingo e boa semana, amiga Majo.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  14. Boa tarde, as imagens mostram na perfeição o requinte que os russos sempre tiveram nas suas coisas, acho que eles são fantásticos, nunca consegui saber o que é um regime comunista, será que é aquele que perseguem as pessoas a pagar impostos, por exemplo uma pessoa que devia 100€ do imposto automóvel o estado fica com a única casa que o devedor tem? ou aquele que caiu no desemprego a ganhar 700€ mensais e devia 10 mil euros, mais um vez foram buscar a casa onde morava uma jovem deficiente, porque não foi possível pagar quatro prestações de 2500€ mensais, os bolos da pastelaria penhorados pelo estado, favorecer as grandes empresas e gestores com benefícios fiscais, causar empobrecimento ao ponto das pessoas alimentarem-se nos caixotes de lixo, e muito mais, dava para escrever durante uma semana, este sim é um regime terrível que dois inimigos do povo, mas amigos dos amorins e outros, infelizmente um deles é algarvio e meu vizinho. tenho nojo destas pessoas.
    AG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ~~~
      AG.

      Compreendo a sua necessidade de desabafar, porém, este blogue

      é dedicado à cultura...

      Encontrará outros blogues (muitos) mais apropriados a este tipo de comentários.

      Dias felizes.
      ~~~~~~

      Eliminar
  15. Ui...esquece-me de lhe dizer que o seu gosto musica em trazer Gilbert Becaud, é maravilhoso, fez-me recordar os perfeitos bailaricos particulares.
    AG

    ResponderEliminar
  16. Beleza colossal.

    Beijinho e boa semana.

    Ana

    ResponderEliminar
  17. Olá Majo
    a minha juventude acompanhou Gilbert Bécaud, gostava das suas canções românticas e com voz pronunciada !
    agora os russos têm recursos enormes, com certeza que vão "abafar" com os seus museus e estabelecimentos históricos !
    abraço amiga
    Angela

    ResponderEliminar
  18. Gilbert becauld...Saudades da sua voz quente
    Moscovo, um lugar a.visitar
    Kis :=}

    ResponderEliminar
  19. Luxo e requinte em Moscovo é muito normal.
    Mas confesso que tenho mais curiosidade em visitar São Petersburgo.
    Beijinhos, boa semana

    ResponderEliminar
  20. A recuperação e conservação de monumentos e edifícios históricos é uma forma de preservar a memória arquitetónica de uma cidade. Para compreender o presente é preciso conhecer o passado. Gostei de conhecer a origem da famosa música de Gilbert Becauld que desconhecia. Mais um post informativo e interessante.

    Um beijinho, querida Majo :)

    ResponderEliminar
  21. Rússia , um grande país com todo o seu fausto . Gosto destes passeios onde se deambula por entre as imagens ( belíssimas ) e respetivas dissertações . E Gilbert Bécaud ? Saudade !
    Obrigada , Majo
    Beijinho

    ResponderEliminar
  22. Boas ideias levadas à prática.

    Bjs

    ResponderEliminar
  23. Lindo! Apetece lá tomar um chá...só que para isso presumo que tenha de poupar durante um ano:-))))))))))))))))))))
    Abraço

    ResponderEliminar
  24. Olá,Majo

    Já tive o prazer de conhecer esse belíssimo Café através de um e-mail que nos enviou.

    Adorei a sua história e também a associação a Gilbert Bécaud, cantor que eu muito admiro.

    Desejo-lhe uma semana com dias felizes.

    BJ

    Olinda Melo

    ResponderEliminar
  25. Mais uma belíssima e interessante partilha, Majo. E, como sempre, saio mais rica.
    A Rússia, como país, atrai-me; talvez porque tenha lido autores consagrados.
    Bjinho :)

    ResponderEliminar
  26. Olá Majo,

    Belíssima e rica postagem!
    Que maravilha de registros! Os ambientes luxuosos e requintados encantam.
    Fui lá no google para buscar mais imagens do Café Pushkin. Um sonho!
    Adorei ouvir Gilbert Becaud interpretando esta linda canção. Lembro-me dela.
    Parabéns pela excelente partilha!

    Feliz semana!

    Beijo.

    ResponderEliminar
  27. Simplesmente lindíssimo. Obrigada por compartilhar tanta beleza e cultura.
    Uma ótima semana. Beijinhos estalados...

    ResponderEliminar
  28. Belíssimo, como é hábito, para nosso consolo!Estive em S.Petersburo(muito bela ...e com um museu , talvez sem comparação!)Moscovo, ainda não foi possível. G-Bécaud? Sempre . Obrigada! Bjs

    ResponderEliminar
  29. Que maravilha Majo.
    Gosto de saber a historia atrás de uma música, como de um poema, e musica é poema é vida.
    Que luxo a edificação numa maravilhosa arte da engenharia e que aqui bem restaurada e preservada para a humanidade.
    Bela postagem Majo.
    Beijos amiga.

    ResponderEliminar
  30. - NOTA ~

    A Rússia não pára de despertar-me sentimentos contraditórios...
    Se, por um lado, acho ótimo recuperarem-se edifícios que devem pertencer
    ao património cultural do país, por outro lado, fico atónita com o grau
    de luxo empregue para atrair os capitalistas que foram tão vilipendiados.
    Os homens de negócios gostam de fazer as refeições na biblioteca do Cafe
    Pushkini onde saboreiam o melhor caviar acompanhado da melhor vodka e uma
    variedade de pratos requintados... Eu fico olhando para todas as valiosas
    peças de antiquário e para todos aqueles livros antigos encadernados... e
    penso como era sábio Camões que proferiu «mudam-se os tempos, mudam-se as
    vontades»...
    Recuperam-se valores da literatura russa em edições luxuosas, desprezadas
    num passado recente como objetos burguesas...
    Se, por um lado, sinto grande contentamento quando abro o mapa do Google e
    não vejo na cidade dos czares, a palavra Leninegrado, também acho confuso
    encontrar novamente S Petersburgo, lugar onde correu tanto sangue...
    Por que não ser apenas cidade do Báltico?
    Se, por um lado, congratulo-me com a liberdade da expressão religiosa, por
    outro lado, fico perplexa com o novo ascendente domínio da igreja ortodoxa
    russa, com aqueles encontros periódicos de Putin com o líderes religiosos
    que começam na sauna e terminam em mesa farta...
    Um enorme caixão de surpresas! Putin e este regime podem ser rapidamente
    ostracizados como foi Lenin e Stalin...
    E a Europa vive no sonho que a «Guerra Fria» é coisa do passado...

    ESTIMADOS AMIGOS, AGRADEÇO SOBREMANEIRA A VOSSA PRECIOSA COLABORAÇÃO
    SEM A QUAL ESTE BLOGUE NÃO TINHA RAZÃO DE EXISTIR...
    ABRAÇOS CORDIAIS PARA TODOS
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
  31. Pois é, Majo. A Rússia é neste momento um país cheio de contradições. Na minha opinião, Putin é um ditador. Ele parece querer o regresso à ostentação do "tempo dos czares". Faz medo.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  32. "Um enorme caixão de surpresas" a expressão perfeita para designar o emaranhado de sentimentos que invadem qualquer pessoa que , hoje, visite qualquer uma das recuperadas(bem) e deslumbrantes cidades "imperiais" russas. Encantamento, espanto, angústia , medo!...Perigoso, sem dúvida! Putin? Um ditador perigoso.Onde está a dúvida?Li, recentemente, o livro de Svetlana Alexievitch, Nobel da Literatura, e gostei de rever a história recente desse mundo tão longe de nós. Aconselho vivamente.

    ResponderEliminar
  33. Tenho também este pasmo, mas o que se vê mais são paradoxos.
    São raros os líderes que fazem o que apregoam.
    Os sacrifícios são para os outros, nunca para eles.
    Vivemos, hoje, uma política de marketing.
    Bjo, Majo

    ResponderEliminar
  34. Ainda que o Barroco não seja dos estilos que mais aprecio, este café agrada-me...a música também :))
    Beijinhos

    ResponderEliminar