***

*** PAISAGEM CULTURAL MARÍTIMA DOS AÇORES ***
A montanha e parte da Ilha do Pico vistas de uma zona elevada da ilha do Faial. As ilhas estão separadas por um estreito de 8,3 Km de largura, que é designado por Canal do Faial, expressão que deu título ao romance de Nemésio. O mar agitado prejudicou este ano as atividades da Semana do Mar.
~~ A fotografia - «Moinhos da Ilha do Faial» - é da autoria de Fernando Araújo.~~

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Drummond de Andrade I

                                                                                                                                                       
                                                                         
                                                                                              Música
         



Início dos percursos do Poeta de Itabira.                        

1902 - 1987        


Já no século XIX extraía-se ferro artesanalmente em Minas Gerais, mas foi no início do século
passado, quando os cientistas descobriram que o subsolo deste estado continha o maior jazigo 
do mundo, que toda a beleza de montanhas, vales, rios, ribeiros e cachoeiras 
daquela esplêndida região coberta de Mata Atlântica, ficou condenada, a favor do aço.

Foi Getúlio Vargas  logo no início do seu mandato em 3 de Novembro de 1930,
que entregou Itabira à avidez das multinacionais.
Só dez anos depois, em 1942, foi formada a companhia «Vale do Rio Doce»

Com a construção duma barragem para a lavagem do minério,  a fazenda do Pontal, 
com a habitação dos Andrades à beira-rio, foi inundada,
A casa foi desmontada pela companhia e reconstruída - pasme-se - 30 anos depois!


Casa da Fazenda do Pontal onde o Poeta passou parte da  infância - AQUI

O Pico Caué - dos irmãos, em inguagem africana - foi uma elevação que de 1 385m, passou a 150m
de alitude. Desapareceu pela mineração, deixando uma enorme chaga ambiental.

 ~~ Itabira ~~
«Cada um de nós tem um pedaço no pico de Cauê.
Na cidade toda de ferro as ferraduras batem como sinos.
Os meninos seguem para a escola.
Os homens olham para o chão.
Os ingleses compram a mina.


Só, na porta da venda, Tutu caramujo cisma na derrota incomparável.»


Casa em Itabira onde o poeta passou a 2ª parte da infância e a juventude. - AQUI

 «Meu pai montava a cavalo, ia para o campo,
Minha mãe ficava sentada cosendo.
Meu irmão pequeno dormia.
Eu sozinho, menino entre mangueiras, 
lia a história de Robinson Crusoé,
comprida história que não acaba mais.
... ... ...
Minha mãe ficava cosendo´
olhando para mim:
- Psiu, não acorde o menino.
Para o berço onde pulou um mosquito.
E dava um suspiro... que fundo!

Lá longe meu pai campeava
no mato sem fim da fazenda.

Eu não sabia que a minha história
era mais bonita que a de Robinson Crusoé.»




~~ Memória ~~

«Amar o perdido
deixa confundido
este coração  

Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.  

As coisas tangíveis
 tornam-se insensíveis
à palma da mão   

Mas as coisas findas
Muito mais que lindas,
essas ficarão.»


Monumentos em Itabira


Dedico esta homenagem ao meu amigo,
com o pseudónimo Toninhobira, poeta itabirano.

Para mim, o estado Minas Gerais era uma lindíssima região verdejante,
com montanhas cobertas de mata e abundantes cursos de água...
Foi ao ler o canto triste do meu amigo, lamentando a morte do seu rio - o Rio dos Peixes
que atravessa Itabira -  onde já não é possível pescar ou tomar banho;
que fui investigar a origem de tanta tristeza nostálgica e tomei conhecimento deste drama.

Está longa a história, mas quero frisar que a agressão da mineração é tão drástica que obriga
a construção permanente de bairros, sendo os anteriores devastados pelas máquinas.

45 comentários:

  1. Madrinhamiga

    De novo a vida de Jornalista: conheci Drummond de Andrade e com ele conversei durante uma tarde na sua casa no Rio de Janeiro em 1983, ou seja quatro anos do seu falecimento. Era um homem muito complexo, tão depressa me disse que não gostava da obra que parira para momentos depois a citava com exemplo do Modernismo Brasileiro.

    Enfim foi uma conversa lona, pois trazia um recado para me aturar do Jorge Amado. Enfim vida d jornalista...

    A escolha dos poemas é criteriosa e excelente, muitos parabéns.

    Bjs da Raquel e qjs do afilhado Leãozão (que ainda não te conhecemos ao vivo...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Poeta tinha,
      então, 81 anos e andava entretido a fazer poemas erótico- pornográficos...
      Nem sempre as pessoas conservam a sua lucidez e discernimento, porém, o
      facto é que nos deixou peças inesquecíveis e uma obra significativa.
      Esta homenagem é uma introdução.

      Dias refrescados e noites deliciosas.
      Beijinhos e abraços para ambos.
      ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

      Eliminar
  2. Excelente homenagem a Drummond, poeta queimensamente admiro.
    ~~~~~

    Um beijo e obrigado, MAJO.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grata pelo carinho, João.
      Beijo, amigo.
      ~~~~~~

      Eliminar
  3. Carlos Drummond de Andrade a merecer, aqui, uma simples mas maravilhosa homenagem.
    Beijo, Majo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma cumplicidade que me encanta...
      Beijo, amigo.
      ~~~~~~~

      Eliminar
  4. A sua poesia no combate às multinacionais da mineração, na sua amada Minas Gerais. Faleceu bem antes de acontecer mais uma tragédia por lá:
    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/11/1710155-barragem-rompida-e-que-levou-a-desastre-ambiental-tinha-lama-da-vale.shtml

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Era uma luta muito desigual...
      Hoje há biólogos e engenheiros de ambiente que obrigam o tratamento
      das zonas devastadas, mas não conseguiram impedir o imenso desastre
      humano e ecológico que citou.
      Serão necessários mais peritos para fiscalizarem as obras da Vale.
      Fico muito reconhecida pelo seu contibuto e apoio, Manuel...

      Que calor!
      Dias refrescados e bons passeios nocturnos...
      Abraço amigo.
      ~~~~~~~~~~~~

      Eliminar
  5. Maravilhoso Drummond!!

    Beijos, Majo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, ME.
      Dias memoráveis...
      Beijos, querida amiga.
      ~~~~~~~~~~~~~~~~~~

      Eliminar
  6. Oh, que linda homenagem ao nosso Drummond.
    Criticas perfeitas e verdadeiras dos estragos em nome do progresso e da riqueza.
    Itabira é hoje um retrato na parede, dizia ele da dor, bom que ele não viu ao vivo, a devastação de sua historia, pois já não voltava mais à cidade e até sua morte não tínhamos velocidade das informações com imagens. Eu menino muito fui a esta fazenda, que hoje por ironia fica pertinho da casa de minha mãe de onde posso olhar buscando o rio que a margeava e os pé de jabuticabas e laranjeiras que rodeavam a casa.A cidade tem várias homenagens a ele e nenhuma o fez voltar para ver. As novas pós morte, reescrevem os caminhos Drummonianos, assim como este monumento no Pico do Amor, a reconstrução da fazenda.
    Enfim sua postagem fez um belo retrato de Drummond e seu mundo no inicio da vida.
    Parabéns amiga. Gosto muito desta poesia que nos define.Ainda vamos falar muito de Drummond.

    Meu carinhoso abraço de toda paz.
    Bjs com carinho no seu coração.

    ResponderEliminar
  7. É muito gratificante saber que gostou e aprovou a minha homenagem ao Poeta.
    Fico muito grata por relatar os seus testemunhos sobre os lugares drummonianos.
    Falaremos muito de Drummond, sim, querido amigo.
    Dias harmoniosos e agradáveis.
    Carinhoso abraço.
    Beijo de paz.
    ~~~~~~~~

    ResponderEliminar
  8. Respostas
    1. Obrigada pelo carinho e incentivo, Francisco.

      Temos de no proteger do calor e aproveitar as noites magníficas...
      Beijinho, amigo.
      ~~~~~~~~~

      Eliminar
  9. Gostei da selecção de poemas. Gosto muito de Drummond.

    Parabéns pelos post que tem colocado, Majo:)

    Beijinhos e um bom fim-de-semana:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A nossa cumplicidade mantém-se...
      Agradeço o incentivo.
      Dias muito agradáveis e noites de verão deliciosas.
      Beijinhos.
      ~~~~~

      Eliminar
  10. Ah...quando li Itabira pensei em segundos: aí vem Drummond!! Beleza de homenagem a um dos nossos maiores poetas- senão o maior.
    Beijos, amiga!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo quando se refere ao elevado valor literário de Drummond
      de Andrade.
      Um fim de semana otimamente passado.
      Beijos, Taís amiga.
      ~~~~~~~~~~~~

      Eliminar
  11. Poemas que denotam a indiferença do homem com a ecologia. Pensa que a mesma é infindável! Poemas cantam alegrias e decantam as tristezas das aberrações humanas! Drummond com sua sensibilidade e Antonio Reis fazem-nos refletir!
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem razão, Célia. Os direitos que enriquecem alguns sobrepõem-se
      ao equilíbrio ecológico e da população autóctone.
      Tudo evolui com uma lentidão desesperadora.
      Abraço, Célia.
      ~~~~~~~~

      Eliminar
  12. Que maravilha! Não posso deixar de pensar naquilo que é preciso para desenvolver vocações. O que seria deste poeta se tivesse nascido e crescido em outro lugar ? O que seria dele e da sua poesia?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Alda, que pertinentes e fecundas considerações!
      Realmente, num poeta, as recordações infantis e juvenis permanecem
      como raízes principais.
      Um contributo muito interessante...
      Dias refrescados e noites otimamente aproveitadas.
      Beijo.
      ~~

      Eliminar
  13. Um magnífico post, onde é contextualizada a poesia escolhida do grande poeta.
    Gostei imenso, minha amiga.
    Majo, tem um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agradeço o apoio e o carinho, Jaime.
      Aproveita bem estas tardes e inícios de noite fantásticos...
      Beijo, amigo.
      ~~~~~~~~

      Eliminar
  14. Querida Majo,
    adoro o poeta e a tua pesquisa e edição está perfeita!

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agradeço muito o apoio e incentivo.

      Dias muito agradáveis. Ana.
      Beijinho.
      ~~~

      Eliminar
  15. Como gostei desta postagem.
    Muito obrigada.
    bom fim de semana
    um beijo
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grata pelo carinho.

      Dias agradibilíssimos.

      Beijo sorridente.
      ~~~~~~

      Eliminar
  16. Retrato da ganância que tudo arrasa à sua volta. E tal como aconteceu em Itabira, aconteceu em tantas outras partes do globo, em que a natureza e o homem são implacavelmente sacrificados aos interesses financeiros individuais!
    Mundo triste esse, como cantou o poeta!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens toda a razão, MJ.
      É difícil frear a avidez dos poderosos.
      O teu contributo é sempre importante...
      Beijinho.
      ~~~~

      Eliminar
  17. A História é feita de múltiplas estórias. Sempre de vida, seja qual for o seu enquadramento.
    Magnífico post, Majo!

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico reconhecida pelo apoio e incentivo, AC.
      Dias agradáveis.
      Beijinho.
      ~~~~

      Eliminar
  18. que coisas interessantes aqui encontro sobre o Brasil e os seus poetas...

    beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É agradável saber que gostaste...
      Beijo, amigo.
      ~~~~~~

      Eliminar
  19. Majo,
    Parabéns pelo registo afectuoso e profundo, mostrando a terra e o poeta, a casa, a paisagem e o poema. Mais, o resultado dos tempos sobre essa paisagem.
    Li o seu outro post mas é um tema controverso para mim, pois acho que as tradições e as memórias se devem preservar e perpetuar; sou amiga dos animais, tenho três gatos mas se as tradições se perdem...

    Beijinho.:))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei de saber que gostou do meu trabalho sobre Drummond de Andrade.

      Quanto às tradições - para não se perderem - ainda estaríamos com
      os espetáculos com arena de gladiadores, servos da gleba, escravos
      e barbaridades deste género...

      Não é justo que massacrem um animal, espetando-o para se esvair em
      sangue e, só então, dar a estocada libertadora...

      Uma ferocidade que não respeita minimamente o animal, com a benção
      do santo...
      Puro obscurantismo que dá muito dinheiro aos senhores da arena, aos
      matadores e ao turismo.

      Beijinho. ll: ((
      ~~~~~

      Eliminar
  20. Majo, a foto da casa com o pequeno Drummond está bem pertinho de casa da minha mãe, bem como o monumento onde tem este Drummond sentado num banco.
    Vendo estas fotos é para mim uma viagem ao meu bairro, à minha Itabira.
    Muitas vezes estive nesta fazenda para apanhar jabuticabas, goiabas, laranjas e pescar.
    Era para nós menino soltos da época, um belo passeio.
    Bjs amiga.
    Deus te cuida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gosto muito de conhecer esses pormenores, Toninho.
      Continuarei a falar da cidade que brilha e do seu Poeta e,
      então, pedirei mais detalhes...
      Que Deus o proteja.
      Beijo, meu amigo.
      ~~~~~~~~~~

      Eliminar
  21. Poeta que bem me impressionou na adolescência!
    Obrigada pela dádiva e pelo apontamento histórico inscrito não só nas palavras, mas também nas imagens!
    beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grata fico eu pelo apreço e apoio.
      Beijinho amigo, Graça.
      ~~~~~~~~~~~~~

      Eliminar
  22. Mais uma postagem muito cuidada: gosto imenso de Drummond e esta homenagem permitui-me conhecer o seu contexto social.
    Quantos crimes ambientais se cometem! Na minha região está em curso a barragem do Tua. Entendo os motivos mas não sei se, a longo prazo, não se verificará que foi um erro.
    Bjo, amiga :)
    (Por cá, as temperaturas estão elevadíssimas. Só à noite e depois de começar a correr um fresquinho, é que venho ao pc.)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico-te muito reconhecida pela tua apreciação.
      Tenho ouvido falar dessa barragem... É sempre uma devastação em termos
      ecológicos, que impõe à natureza longos anos de adaptação...
      Sou das pessoas que lamenta o fim da linha do Tua... São essas tradições
      que aprecio.
      Também estou com o tempo para o pc, muito limitado.
      Beijo, Odete amiga.
      ~~~~~~~~~~

      Eliminar
    2. Hoje, ao rever o meu comentário, dei conta de um lapso; corrijo: permitiu.

      Eliminar
  23. Belo post bem completo...
    Adoro...

    ResponderEliminar
  24. Um post de qualidade incrível, Majo!
    Uma tremenda homenagem, a este grande poeta!...
    Adorei! Beijinho!
    Ana

    ResponderEliminar